PME

Startup recebe R$15 mi para levar bares e restaurantes ao digital

Fundada em 2014, a Goomer projeta crescimento de 300% em 2021 e uma receita de 20 milhões de reais

Startup Goomer: startup quer liderar transformação digital de bares e restaurantes no Brasil (Goomer/Divulgação)

Startup Goomer: startup quer liderar transformação digital de bares e restaurantes no Brasil (Goomer/Divulgação)

Lucas Agrela

Lucas Agrela

Publicado em 21 de maio de 2021 às 08h00.

Última atualização em 21 de maio de 2021 às 11h57.

A startup Goomer recebe hoje um aporte de 15 milhões de reais liderado pelo fundo Bridge One e acompanhado pela DOMO Invest e pelo fundo Aimorés Investimentos . A foodtech brasileira prevê crescimento de 300% até o fim de 2021, além da contratação de 60 novos colaboradores. Com o crescimento esperado, a startup almeja atingir faturamento de 20 milhões de reais neste ano. Criada em 2014 em Sorocaba (SP), a startup atua no segmento de alimentação com cardápios digitais dentro dos estabelecimentos, que podem ser acessados por leitura de QR Code com o celular, e possui uma plataforma de delivery que é integrada ao aplicativo de mensagens WhatsApp, chamada GoomerGo.

Fundador e CEO da Goomer, Felipe Maia Lo Sardo conta que o aporte será utilizado para ampliar e evoluir a plataforma digital de canais de vendas e atendimento da foodtech. "50% do aporte será investido em produto e tecnologia para ajudar restaurantes a atrair e receber clientes, enquanto a outra metade será usada para ampliar a nossa presença no mercado brasileiro", diz o CEO para a EXAME.

Segundo dados da própria startup, mais de 110 mil marcas ligadas ao ramo de alimentos em 2.700 municípios brasileiros usaram alguma das soluções da Goomer nos últimos 12 meses. Até o fim de 2021, a meta é ter presença em 230 mil estabelecimentos. No ano de 2020, quando muitos bares e restaurantes precisaram ir para o digital da noite para o dia em razão da pandemia do novo coronavírus, a Goomer movimentou 380 milhões de reais em entregas no território nacional.

“Focamos em empresas B2B que estejam liderando a disrupção em seus mercados, com alto crescimento e sólido unit economics. No caso da Goomer, todos esses ingredientes estão presentes e o potencial de crescimento dentro da base existente é um enorme atrativo”, diz, em nota, João Brandão, sócio e fundador da Bridge One.

  • Não perca as últimas tendências do mercado de tecnologia. Assine a EXAME.
Acompanhe tudo sobre:Investimentos de empresasStartups

Mais de PME

Alphabet registra lucro líquido de US$ 23,6 bilhões no segundo trimestre de 2024

Banco do Brasil se torna primeiro emissor Visa para pagamentos por aproximação nos relógios Garmin

CEO da CrowdStrike é convidado a depor no Senado dos EUA sobre falha que afetou PCs Windows

Starlink quer adicionar 7,5 mil novos satélites na rede acessada pelo Brasil

Mais na Exame