SpaceX faz história com mais um lançamento de foguete; veja o vídeo

A empresa de Elon Musk foi a única autorizada pelo governo americano a realizar o lançamento polar a partir da base aérea da Flórida

Elon Musk segue chocando a comunidade espacial. Desta vez, a SpaceX, empresa comandada pelo empresário sul-africano, decolou um foguete do Centro Espacial Kennedy, na Flórida, que voou para o sul, em direção a Cuba. Isso era algo que não acontecia desde 1969, já que os foguetes que decolam desta estação seguem em direção leste.

O foguete Falcon 9 estava carregado com um satélite de observação terrestre e faz parte da missão SAOCOM 1B. A ideia é transportar o equipamento com destino às órbitas polares. Em geral, isso acontece com lançamentos a partir da base da Força Aérea de Vandenberg, na Califórnia, para impedir que o foguete viaje por áreas povoadas. Se houver um acidente, nave cairia no oceano e não sobre uma cidade ou uma floresta.

No entanto, órgãos de defesa dos Estados Unidos autorizaram que a SpaceX pudesse realizar o lançamento a partir da base aérea da Flórida e rumasse na direção sul. Isso era algo que não acontecia desde 1969, já que os foguetes que partem desta base rumam em direção leste para evitar que sobrevoem por cidades e povoados como West Palm Beach, por exemplo.

A exceção se deu porque a SpaceX conta com sistemas de segurança autônomos da Falcon 9, capazes de destruir o foguete no caso de algum problema. Tudo é feito por inteligência artificial, sem qualquer interferência humana. Ou seja, mesmo que a SpaceX não queira destruir o foguete por conta de algum problema, isso não poderá ser evitado. A companhia de Musk é a única que conta com um sistema deste tipo.

A tendência é de que foguetes existentes e futuros como o United Launch Alliance Vulcan; o New Glenn, da Blue Origin; e o Falcon Heavy, da própria da SpaceX, também sejam equipados com sistemas automatizados de autodestruição. Quando isso acontecer, é possível que a Força Aérea dos Estados Unidos autorize novos lançamentos na direção sul partido partindo da base da Flórida.

O satélite SAOCOM 1B seguirá uma órbita sincronizada com o Sul, o que permitirá monitorar os pontos da Terra no mesmo horário todos os dias. A ideia é ajudar a prevenir desastres naturais e eventos climáticos que possam afetar setores como agricultura, mineração e outras indústrias.

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.