Senador dos EUA pede que FBI investigue o aplicativo FaceApp

Político se diz preocupado com a segurança dos usuários e considera a possibilidade espionagem internacional
Privacidade: senador norte-americano pede que FaceApp seja investigado (FaceApp/Reprodução)
Privacidade: senador norte-americano pede que FaceApp seja investigado (FaceApp/Reprodução)
M
Maria Eduarda CuryPublicado em 18/07/2019 às 16:30.

São Paulo - O novo aplicativo do momento é o FaceApp, que viralizou por envelhecer fotos de usuários. A brincadeira, no entanto, não agradou a todos: Chuck Schumer, senador dos Estados Unidos, pediu ao FBI que investigasse o app de origem russa.

Em uma carta para o FBI, Schumer requisitou que fosse aberta uma investigação para descobrir o destino final dos dados pessoais que estão sendo recolhidos pelo aplicativo. O senador diz se preocupar com a segurança dos nativos do país, além da possibilidade de outros governos estarem coletando informações dos milhões de americanos que já se cadastraram no FaceApp.

O político ainda demonstrou que a preocupação surgiu depois de analisar que a empresa desenvolvedora tem sua sede em São Petersburgo. Schumer utilizou o Twitter para fazer o pedido público, veja abaixo:

Na cláusula número 5 dos Termos de Uso do aplicativo, está escrito que o usuário cadastrado garante ao aplicativo o direito de utilizar sua imagem e dados de maneira comercial e não-comercial, sem remuneração. Na Política da Privacidade, está explicitado que o aplicativo pode compartilhar as informações com empresas do mesmo grupo econômico - inclusive para ações de marketing.

Apesar de não estar claro qual será o fim dessa história, o FaceApp disse ao site americano TechCrunch que não compartilha dados com o governo da Rússia.

Ainda que o aplicativo em si não apresente nenhum risco exposto para o usuário, é importante pensar duas vezes antes de compartilhar a sua imagem. Como todo app, existe a possibilidade de ocorrerem trocas de informações.