Tecnologia
Acompanhe:

Republicanos processam TikTok nos EUA por riscos para menores e brechas de segurança

A ação jurídica afirma que a rede social ajuda a promover “conteúdo com álcool, tabaco e drogas; conteúdo sexual, nudez e temas sugestivos''

TikTok na berlinda: rede social tem enfrentado problemas com certa frequência nos EUA (Dado Ruvic/Reuters)

TikTok na berlinda: rede social tem enfrentado problemas com certa frequência nos EUA (Dado Ruvic/Reuters)

A
AFP

9 de dezembro de 2022, 09h17

O estado de Indiana, nos Estados Unidos, entrou com dois processos na quarta-feira contra o TikTok, que acusa de apresentar falsas alegações sobre a segurança de menores na plataforma de vídeos chinesa. 

A ação jurídica ocorre em meio a problemas crescentes para o TikTok nos Estados Unidos, com várias acusações de que o aplicativo popular é uma ameaça à segurança nacional e um veículo de espionagem para a China.

Fique por dentro das MAIORES inovações digitais que já estão em curso no mercado agro  e que vão transformar profundamente o seu negócio.

“O aplicativo TikTok é uma ameaça maliciosa lançada sobre consumidores desavisados de Indiana por uma empresa chinesa que sabe muito bem o dano que inflige aos usuários”, disse o procurador-geral Todd Rokita em nota.

O processo observa que os algoritmos do TikTok fornecem “conteúdo abundante com álcool, tabaco e drogas; conteúdo sexual, nudez e temas sugestivos” para usuários a partir dos 13 anos.

O estado também processou o TikTok por supostamente enganar os usuários, fazendo-os acreditar que "enormes quantidades de informações e dados pessoais altamente confidenciais" estavam protegidos do governo chinês.

Em nota, o TikTok não comentou especificamente sobre o caso, mas disse que "a segurança, a privacidade e a proteção de nossa comunidade são a principal prioridade".

“Construímos o bem-estar dos jovens em nossas políticas, limitando os recursos com base na idade, capacitando os pais com ferramentas e recursos e continuamos investindo em novas maneiras de aproveitar o conteúdo com base na idade ou na conveniência das famílias”, explicou a empresa.

O TikTok enfrenta uma crescente oposição nos Estados Unidos, com vários estados e o Exército proibindo seu uso em dispositivos governamentais.

Na quarta-feira, o Texas se tornou mais um estado a adotar tais medidas e pediu uma “ação agressiva” contra o TikTok.

O aplicativo popular é acusado por suas supostas conexões com o governo de Pequim, com temores de que permita que a China use seus dados para rastrear e coagir usuários em todo o mundo.

A empresa está atualmente em negociações com o governo dos EUA para resolver questões de segurança nacional, com a esperança de manter a operação em um de seus maiores mercados.

O TikTok disse estar "confiante em estar no caminho certo (...) para satisfazer plenamente todas as preocupações razoáveis em relação à segurança nacional dos Estados Unidos".

O sucesso espetacular do TikTok deixou aplicativos rivais, como o Instagram, de propriedade da Meta, ou o Snapchat, em dificuldades para acompanhá-lo e com seu lucros por publicidade afetados.

O diretor do FBI, Christopher Wray, disse aos congressistas no mês passado que está "extremamente preocupado" com os riscos de segurança associados ao TikTok.