• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Realme avança na missão de chegar ao top 3 no Brasil com novos smartphones

A fabricante chinesa de celulares aposta em aparelhos que custam a partir de 999 reais
Realme C25: aparelho chega ao Brasil em julho (Divulgação/Realme)
Realme C25: aparelho chega ao Brasil em julho (Divulgação/Realme)
Por Lucas AgrelaPublicado em 24/06/2021 10:30 | Última atualização em 24/06/2021 10:34Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A Realme é uma empresa chinesa que chegou ao Brasil neste ano com uma meta declarada: tornar-se uma das três marcas que mais vendem celulares no país até 2026. De acordo com o cenário atual, a empresa estaria logo atrás de Samsung e Motorola e à frente de Apple, Xiaomi e Asus. Nesta semana, a companhia avançou na sua estratégia de crescimento ao trazer para o mercado nacional três novos smartphones. O C25 e o 8 Pro compõem a linha intermediária da empresa, enquanto o C11 chega para competir no segmento de entrada. 

  • O mundo está mais complexo, mas dá para começar com o básico. Veja como, no Manual do Investidor.

O Realme C25 vem com tela de 6,5 polegadas, processador octa-core MediaTek Helio G70, 4 GB de RAM e 128 GB de memória para armazenamento. A bateria do aparelho tem capacidade de 6.000 mAh e é uma das maiores do mercado atual, ao lado do Galaxy M21 e do Moto G60. Na contramão da tendência do fim dos carregadores, o C25 vem com carregador de 18 watts que promete recarga veloz da bateria. O preço sugerido do aparelho é de 1.599 reais. 

Realme 8 Pro

Já o 8 Pro traz poucas mudanças em relação ao antecessor, o 7 Pro. Por dentro, o Realme 8 Pro tem processador Snapdragon 720G, 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento. A tela é de 6,8 polegadas (Full HD) e a bateria tem capacidade de 4.500 mAh. A câmera principal é o destaque do produto por ter sensor de 108 megapixels.

Realme-8-Pro

(Realme/Divulgação)

O conjunto de câmeras traseiras tem uma ultra-wide (ao estilo GoPro) de 8 megapixels, uma macro de 2 megapixels e uma monocromática de 2 megapixels. O preço sugerido do aparelho é de 2.599 reais.

Realme C11

O modelo mais simples dos lançamentos da semana, chamado C11, tem tela de 6,5 polegadas, processador UnisocSC9863A , 2 GB de RAM e 32 GB de armazenamento.

Realme-C11

(Realme/Divulgação)

As câmeras são de 13 megapixels (traseira) e 5 megapixels (frontal). Sua bateria é de 5.000 mAh e o carregador que vem na caixa é de 10 watts. O preço sugerido do Realme C11é de 999 reais. 

Estratégia e crescimento no Brasil

A Realme foi criada em 2018 e hoje ocupa a sétima posição no mercado global de smartphones, segundo a consultoria chinesa Counterpoint Research. A empresa foi a mais rápida do mercado a atingir 50 milhões de smartphones vendidos, em apenas nove trimestres, algo que levou 13 trimestres para a Apple. A Realme está atualmente em 61 países e ocupa o top 5 em 14 mercados, segundo dados da própria companhia. No Brasil, a empresa quer estar entre as três empresas que mais vendem smartphones no prazo de cinco anos, ou seja, em 2026. 

No mundo, a Realme foi a fabricante que mais cresceu em relação a 2019, subindo 73%, e hoje ocupa a oitava posição global. A empresa pertence ao grupo BBK, dona das marcas Oppo, vivo e OnePlus. Somando os números das quatro marcas da BBK, a empresa pode ser considerada líder global de vendas de smartphones.

Já no Brasil, segundo dados da consultoria americana IDC, Samsung (50%) e Motorola (25%) foram as líderes do mercado de smartphones em 2020. 

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importante em tempo real.