Tecnologia

Perco o sono pensando que já fizemos algo ruim, diz CEO da OpenAI

Para Sam Altman, a grande criação de sua empresa pode ter impactos inimagináveis para a humanidade

Sam Altman: apesar dos receios, executivo nunca disse que se arrepende de ter lançado o ChatGPT (Chona Kasinger/Bloomberg/Getty Images)

Sam Altman: apesar dos receios, executivo nunca disse que se arrepende de ter lançado o ChatGPT (Chona Kasinger/Bloomberg/Getty Images)

Laura Pancini
Laura Pancini

Repórter de Tecnologia e Inteligência Artificial

Publicado em 13 de junho de 2023 às 14h35.

Última atualização em 13 de junho de 2023 às 15h06.

Sam Altman tem medo do que o futuro reserva para a inteligência artificial (IA) generativa. O CEO da OpenAI, empresa por trás do ChatGPT, já disse em entrevistas que se preocupa com o que concorrentes podem criar a partir da tecnologia e até assinou uma carta aberta alertando sobre o risco da IA "extinguir" a humanidade. "Mitigar esse risco deveria ser uma prioridade global como pandemias e guerras nucleares", diz a carta, divulgada pelo Center for AI Safety no fim de maio.

Como Altman é um dos pioneiros do que ele mesmo diz ter medo, a ironia chega a ser palpável. Mas vale ressaltar que a OpenAI, cofundada por Elon Musk em 2015, foi criada com o intuito de promover a tecnologia de forma aberta e em benefício da sociedade.

"Acho estranho quando as pessoas enxergam como uma humilhação quando digo que estou com um pouco de medo", disse Altman em um podcast americano no início do ano. "Seria uma loucura não ter medo".

Agora, em uma entrevista ao vivo com o jornal Times of India, o CEO da OpenAI revelou como o lançamento do ChatGPT afeta sua vida pessoal.

"O que mais me faz perder o sono é pensar que já fizemos algo muito ruim", revelou. "Eu acho que não, mas a hipótese de que afetamos a indústria e agora não conseguimos mais ter muito impacto, me afeta".

Altman acrescentou que se preocupa com a aceleração na criação de novos sistemas de IA, e que podem existir "complexidades" que não serão previstas antes do lançamento. Vale ressaltar que, apesar das falas, o CEO nunca disse que se arrepende de ter lançado o ChatGPT.

O que é IA generativa?

A IA generativa é o método de programação que usa estatística para prever uma resposta em linguagem natural e que dá vida a chatbots autônomos, capazes de criar textos do zero com comandos simples. As ferramentas da OpenAI, que além do ChatGPT inclui o gerador de imagens Dall-E. A empresa já recebeu investimentos na casa dos US$ 10 bilhões da Microsoft, e hoje é visto como um acontecimento tecnológico no nível do surgimento da internet.

LEIA TAMBÉM: 

Fim do Google? Bill Gates acredita que inteligência artificial pode mudar tudo

Vale a pena investir nas IAs generativas?

OpenAI é processada após ChatGPT criar acusações falsas contra radialista

Acompanhe tudo sobre:ChatGPTInteligência artificialSam AltmanOpenAI

Mais de Tecnologia

Apenas 20% dos CFOs estão satisfeitos com os resultados dos investimentos em tecnologia

Meta negocia comprar 5% da EssilorLuxottica, dona da Ray-Ban que comprou a Supreme, diz WSJ

Meta abre dados do Instagram para estudo do impacto na saúde mental de adolescentes

O que é o Prime Day? Nos EUA, ele deve movimentar US$ 14 bilhões

Mais na Exame