Tecnologia

Página em inglês sobre ELA na Wikipédia teve mais de 2 milhões de visualizações em agosto

A página em inglês da Wikipédia sobre a doença foi vista mais de 2.890.000 vezes em agosto. Em média, a página é visualizada apenas 163.300 vezes por mês

Bill Gates (Reprodução/Facebook)

Bill Gates (Reprodução/Facebook)

DR

Da Redação

Publicado em 6 de setembro de 2014 às 10h29.

A Fundação Wikimedia lançou novos dados reveladores sobre a influência do "Desafio do Balde de Gelo" na internet. Desde que o viral tomou conta das redes sociais no Facebook, um número elevado de pessoas procurou informações sobre a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).

Segundo o Mashable, a página em inglês da Wikipédia sobre a doença foi vista mais de 2.890.000 vezes em agosto. Em média, a página é visualizada apenas 163.300 vezes por mês, segundo levantamento feito entre janeiro de 2013 e julho 2014.

Os dados revelam um aumento de 18 vezes na busca por informações sobre ELA. O aumento também aconteceu na Wikipédia de outras línguas. A página sobre a doença em língua chinesa foi vista 59 vezes mais do que o habitual. A página em língua espanhola também foi vista 14 vezes mais.

O "Desafio do Balde de Gelo" dominou o Facebook nas últimas semanas e levantou mais de 100 milhões de dólares para a Associação ALS, dedicada ao apoio dos pacientes e à pesquisa da ELA.

O desafio consiste em jogar um balde de água com pedras de gelo em cima da pessoa e surgiu como uma forma de conscientização sobre a doença. Diversos famosos – incluindo grandes nomes da Tecnologia, como Bill Gates, Mark Zuckerberg e Tim Cook – toparam o desafio e, além de jogarem o balde de água fria, fizeram doações para a Associação ALS.

Acompanhe tudo sobre:DoençasEmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaEstados Unidos (EUA)FacebookINFOInternetPaíses ricosRedes sociaisSaúdeWikipedia

Mais de Tecnologia

Uber apresenta instabilidade no app nesta sexta-feira

Zuckerberg diz que reação de Trump após ser baleado foi uma das cenas mais incríveis que já viu

Companhias aéreas retomam operações após apagão cibernético

O que faz a CrowdStrike, empresa por trás do apagão cibernético

Mais na Exame