Oracle divulga resultado com TikTok e computação em nuvem no radar

Gigante americana que está interessada na compra do TikTok divulga nesta quinta os resultados financeiros do trimestre encerrado em agosto

A Oracle deve revelar os resultados financeiros de seu primeiro trimestre fiscal de 2021 nesta quinta-feira (10). A expectativa é de que a companhia apresente ligeira queda na receita do período. A cifra deve fechar em torno de 9,1 bilhões de dólares, 0,8% menor do que a registrada no mesmo trimestre do ano passado. A projeção é da consultoria americana Zacks Investment Research.

Os resultados referem-se aos meses entre junho e agosto deste ano. A expectativa do mercado é de que o ganho por ação fique em 0,85 e 0,89 dólar, o que representaria uma alta de 6,2% em relação aos resultados obtidos no mesmo trimestre do ano anterior.  

Avaliada em 174,7 bilhões de dólares, a Oracle é uma das maiores empresas dos Estados Unidos. A companhia enfrentou uma queda brusca em seus papéis negociados na Bolsa de Nova York (NYSE) durante o mês de março, mas os ativos já retornaram ao preço médio dos últimos meses, na faixa de 55 dólares por ação. Desde o começo do ano até o pregão de ontem (9), a valorização foi de 2,5%. 

A maior parte da receita do primeiro trimestre fiscal de 2021 da Oracle deve vir do setor de serviços de computação em nuvem, que devem somar quase 7 bilhões de dólares no período, uma alta superior a 2,1% em relação ao no passado. 

Uma pesquisa da consultoria Synergy Research Group aponta que a Oracle foi responsável por 2% do faturamento anual de serviços de infraestrutura de computação em nuvem, de 111 bilhões de dólares entre junho de 2019 e 2020. A companhia empata com a Tencent e fica atrás de rivais como Salesforce (3%), IBM (5%), Alibaba (6%), Google (9%), Microsoft (18%) e Amazon (33%). 

Se confirmada, a queda do faturamento irá contrastar com os resultados obtidos no trimestre anterior, encerrado em maio, quando a fabricante de softwares comerciais registrou receita de 11,2 bilhões de dólares, alta de 3,3% em relação ao mesmo período de 2019. O lucro líquido foi de 3,4 bilhões de dólares, ou 0,82 dólar por ação, ante os 3,23 bilhões de dólares, ou 0,76 dólar por ação, registrados um ano antes. 

Foco no TikTok 

A Oracle ganhou uma atenção incomum nos últimos meses. E isso se devia ao interesse da empresa em adquirir a operação do TikTok. Em agosto, o jornal britânico Financial Times noticiou que executivos da Oracle estiveram reunidos com investidores do TikTok baseados nos Estados Unidos para negociar um acordo. 

Com mais de 1 bilhão de usuários, sendo 100 milhões nos Estados Unidos, o TikTok se tornou rede social mais popular dos últimos meses, principalmente após o imbróglio envolvendo órgãos de segurança americanos que acusam a rede social de espionar americanos e coletar dados sem autorização. O TikTok foi desenvolvido pela ByteDance, empresa de software com sede em Pequim. 

Por conta disso, o presidente Donald Trump determinou o bloqueio do aplicativo no país. A decisão forçou a empresa a pensar em uma estratégia de se livrar de suas raízes chinesas para evitar novos problemas. A solução encontrada foi buscar um novo dono, só que dessa vez americano. Além da Oracle, que teve o apoio de Donald Trump, Twitter e Microsoft (em parceria com o Walmart) também mostraram interesse. 

Se a Oracle será a nova dona do TikTok, isso ainda é incerto. Fato é que a notícia agradou o mercado. Quando foi noticiado o interesse na aquisição da rede social, as ações da empresa americana subiram mais de 10%. Dinheiro não seria um problema. Em novembro do ano passado, a empresa tinha mais de 35,7 bilhões de dólares em caixa, a oitava no ranking das mais endinheiradas. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.