O que esperar da CES 2021, pela primeira vez completamente digital

Acostumada a reunir milhares em Las Vegas todo início de ano, feira de tecnologia deve ter tamanho reduzido online, ainda que mantenha relevância

A Consumer Electronic Show (CES), a maior feira de tecnologias para o consumidor do mundo, foi dos poucos eventos que de fato aconteceu em 2020. Realizada no início do ano em Las Vegas, a feira pode ser realizada antes que a covid-19 varresse o mundo.

Mas em 2021 não deu para escapar. Com os esforços de imunização em andamento, a CES 2021 é a primeira vez que o evento será totalmente digital.

Se por um lado isso pode permitir que mais pessoas ao redor do mundo assistam às transmissões e acompanhem os lançamentos, por outro não há dúvidas que a CES 2021 será um evento de escala menor do que nos últimos anos. A empresa não divulga o número de pessoas que confirmou participação, mas a quantidade de empresas que se inscreveu para participar caiu de 4.400 no ano passado para 1.800 este ano. Em 2020, estimados 170.000 participantes compareceram pessoalmente.

Os desfalques da feira dão o tom para este ano. Algumas gigantes de tecnologia não estarão participando com conferências de imprensa e anúncios oficiais. A Amazon não terá presença oficial — apesar disso, concorrentes do mercado varejista, como Best Buy e Walmart, estarão entre as principais apresentações.

O Google, que nos últimos anos fez instalações gigantescas para apresentar seus produtos e assistentes de voz, fará reuniões com parceiras, mas também está fora de maiores participações. Já  Microsoft terá uma conferência para discutir a temática da tecnologia como ferramenta ou arma, apresentada pelo presidente Brad Smith. Smith é co-autor de um livro sobre o tema lançado em 2019. É esperado que as notícias mais impactantes da empresa sejam dadas por fabricantes de computadores parceiros.

Samsung e LG, que usualmente são donas de alguns dos maiores estandes da feira, farão coletivas de imprensa sobre novos televisores e tecnologias domésticas. Mas a Samsung vai lançar seu novo smartphone Galaxy na quinta-feira (14), fora da CES.

Entre as novidades que prometem para este ano estão tecnologias veiculares: Intel e Mobileye, uma startup adquirada pela empresa em 2017, vão apresentar novidades de carros autônomos. Mary Barra, CEO da General Motors, também fará uma apresentação, para falar sobre o futuro dos carros elétricos e da mobilidade.

A abertura do evento ficará por conta da telefônica Verizon, que deve trazer novidades e uma visão sobre como o 5G impactará a tecnologia nos próximos anos.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.