Tecnologia

Novas lâmpadas prometem destruir coronavírus e ajudar no retorno aos escritórios

Novos produtos da Signify para o mercado corporativo foram eficazes contra o vírus causador da covid-19 em testes de laboratório

Signify: lâmpadas da empresa podem evitar replicação do vírus com luz UV-C (Signify/Divulgação)

Signify: lâmpadas da empresa podem evitar replicação do vírus com luz UV-C (Signify/Divulgação)

Lucas Agrela

Lucas Agrela

Publicado em 11 de março de 2021 às 13h28.

Última atualização em 11 de março de 2021 às 16h24.

Novas lâmpadas que prometem destruir o coronavírus e ajudar na volta à vida pré-pandemia chegam ao Brasil hoje. Criadas pela Signify, as lâmpadas são voltadas para o mercado corporativo e utilizam luz ultravioleta (UV-C) para inativar vírus e bactérias em poucos segundos.

A tecnologia não é exatamente nova, ela é conhecida há mais de 30 anos. O diferencial das novas lâmpadas é que elas foram analisadas por pesquisadores da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, que atestaram a eficácia contra o novo coronavírus, causador da covid-19. Em poucos segundos, a luz foi capaz de reduzir em 99% o coronavírus, em teste de laboratório. O tempo de atuação para resultados similares em grandes ambientes, entretanto, é maior.

De acordo com a empresa, a área de desinfecção atendida pelas lâmpadas UV-C depende de fatores como a ventilação e o tamanho dos ambientes, mas a área de atuação das luzes pode chegar a 25 metros quadrados. No caso de uma nova lâmpada móvel chamada Trolley, que tem rodas para locomoção, a capacidade de desinfecção é de até 50 metros quadrados em 30 minutos e de 95 metros quadrados no caso de uma unidade que tenha duas lâmpadas.

A tecnologia de iluminação atua contra o coronavírus e outros microrganismos ao prejudicar seu material genético e minimizar sua capacidade de replicação. A iluminação, porém, não é completamente inofensiva a humanos. A exposição prolongada pode levar a efeitos colaterais, como danos ao sistema imunológico e à pele e a alterações no ciclo circadiano (o ritmo de dia e noite do organismo). Por isso, os produtos da Signify contam com uma proteção que permite o uso mesmo com pessoas no ambiente.

Além de produtos voltados para escritórios, supermercados e estabelecimentos comerciais em geral, a Signify também tem um produto similar voltado para residências. A luminária de mesa Philips UV-C foi lançada em novembro do ano passado e visa desinfectar ambientes domésticos com a luz ultravioleta. Signify é o nome da antiga divisão de iluminação Philips Lightning.

Em fevereiro deste ano, a empresa trouxe ao Brasil sua marca de lâmpadas inteligentes Wiz, que podem ser controladas com aplicativos para smartphones e integradas a assistentes de voz, como a Alexa, da Amazon. As lâmpadas inteligentes não têm tecnologia ultravioleta.

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusHome officePhilipsSaúde

Mais de Tecnologia

81% da Geração Z no Brasil deixa de usar apps por preocupações com privacidade, diz pesquisa

O que é a Wiz, empresa que pode ser comprada por R$ 124 bilhões pelo Google

Musk prevê Neuralink dando 'superpoderes de ciborgues' a humanos

Amazon Prime Day 2024: megapromoção oferece descontos de até 50%

Mais na Exame