Tecnologia

Nova onda de layoffs? Qualcomm anuncia queda nas vendas e prevê cortes de vagas

A fabricante de chips enfrenta queda de 25% na receita vinda de mobile, com vendas abaixo das expectativas dos analistas

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 3 de agosto de 2023 às 14h51.

Última atualização em 3 de agosto de 2023 às 15h15.

A Qualcomm, fabricante de chips que equipam iPhones da Apple e milhões de dispositivos Android, reportou na quarta-feira, 2, uma queda de 25% na receita proveniente de chips mobile no último trimestre, totalizando US$ 5,26 bilhões.

Esse resultado representa uma diminuição em comparação com o mesmo período do ano anterior e está abaixo das expectativas dos analistas em uma pesquisa da FactSet.

A empresa, que busca crescimento em novas áreas face ao declínio no negócio de chips para telefones móveis, viu um aumento nas vendas de smartphones durante a pandemia.

No entanto, essas vendas estagnaram nos trimestres recentes, com queda de 7,8% no segundo trimestre em relação ao ano anterior, segundo dados da International Data Corp.

As ações da Qualcomm caíram mais de 7,5% no pregão após o fechamento na quarta-feira. Em uma apresentação, a empresa estimou que as vendas de processadores mobile neste ano cairiam pelo menos um dígito percentual, atribuindo essa previsão a uma economia global mais fraca e a uma recuperação lenta na China.

Diante desse cenário, o CEO da Qualcomm, o brasileiro Cristiano Amon, anunciou em uma ligação com analistas que a empresa continuaria a cortar custos.

Demissões entram no radar

Em um documento, mencionou que essa redução consistiria em grande parte de demissões, embora não tenha especificado o número de empregos afetados.

A Qualcomm, que tinha cerca de 51.000 funcionários em setembro passado, já realizou demissões durante a recessão anterior.

O CFO Akash Palkhiwala afirmou que as medidas de redução de custos se estenderiam ao próximo ano fiscal da empresa, destacando que “até vermos sinais sustentados de melhora nos fundamentos, nosso quadro operacional não assume uma recuperação imediata”.

Globalmente, as vendas da Qualcomm caíram 23% para US$ 8,45 bilhões, abaixo das estimativas de Wall Street.

O lucro caiu pela metade ao registrar US$ 1,8 bilhão, e a projeção de receita para o trimestre atual também ficou atrás das previsões.

O trimestre contido da Qualcomm ocorre em meio a uma recuperação ampla no setor de PCs, que ajudou a elevar as vendas do segundo trimestre para Intel e sua rival, AMD, que também divulgaram resultados nos últimos dias.

Acompanhe tudo sobre:Qualcomm

Mais de Tecnologia

O que é o Prime Day? Nos EUA, ele deve movimentar US$ 14 bilhões

Elon Musk decide transferir sedes da SpaceX e X para o Texas

81% da Geração Z no Brasil deixa de usar apps por preocupações com privacidade, diz pesquisa

O que é a Wiz, empresa que pode ser comprada por R$ 124 bilhões pelo Google

Mais na Exame