Mini celular, sem carregador na caixa, 5G? O que esperar do iPhone 12

Anúncio de terça-feira, 13, pode incluir quatro versões do smartphone da Apple; uma delas pode ser chamada de "mini"

Há 13 anos, o então presidente e fundador da Apple, Steve Jobs, anunciava ao mundo o primeiro iPhone da história. À época, o smartphone era um feito disruptivo: sem teclado, sem caneta, com uma tela grande e totalmente em touchscreen. O objetivo de Jobs era que o celular pudesse ser usado com apenas uma mão.

De lá para cá, o comando da empresa (e o mundo) mudou expressivamente. Com Tim Cook na liderança desde a morte de Jobs, em 2011, os celulares da maçã ganharam novos contornos, cores e tamanhos. O próximo iPhone, o 12, deve ser anunciado na terça-feira, 13. Mas o que esperar do celular de 2020?

A primeira coisa que deve chegar com o novo iPhone é a compatibilidade com o 5G — rede que permite uma internet mais rápida e está sendo adotada no mundo todo.

Os rumores também apontam que quatro modelos do smartphone da Apple devem ser anunciados na terça. São eles: o iPhone 12, o iPhone 12 Pro, o iPhone 12 Pro Max (seguindo a linha do antecessor, o iPhone 11) e uma versão Mini.

A versão Pro Max pode ter capacidade de memória de até 512 gigabytes e tem tudo para ser o maior telefone já lançado pela Apple, com supostos 17 centímetros.

O iPhone Mini, por sua vez, deve ter um tamanho parecido com o do iPhone SE, com cerca de 14,7 centímetros de comprimento — mas o usuário ganha espaço com a tela, uma vez que o smartphone não terá o botão do touch ID, usado até o iPhone 8.

iPhone 12 mini: tamanho do celular deve ser parecido com versão SE

iPhone 12 mini: tamanho do celular deve ser parecido com versão SE (MacRumours/Reprodução)

Novas cores também devem ser anunciadas: elas devem variar entre azul, verde, ouro, prata, grafite e os tradicionais preto, branco e vermelho. Segundo o site MacRumours, o design dos celulares não deve variar tanto, mas rumores indicam que o iPhone 12 pode ter mais semelhanças com o iPad Pro e com o iPhone 4 do que com o iPhone 6 ou o iPhone 11, por ter bordas mais quadradas do que arredondadas — todos, entretanto, devem ter a traseira em vidro.

Há também o boato de que os novos iPhones terão carregadores em suas caixas — o Apple Watch anunciado em setembro, por exemplo, não tem um carregador incluso. É possível que o iPhone 12 também não venha com fone de ouvido, como acontecia em todas as suas versões anteriores desde 2007. Mas, segundo o analista Ming-Chi Kuo, que sempre antecipa as novidades da Apple, os novos iPhones devem ainda vir com um cabo USB-C.

Todos os quatro iPhones devem ter telas OLED, segundo o jornal The Wall Street Journal e a Bloomberg. A tela em Super Retina XDR, que no ano passado estava presente somente no iPhone 11 Pro, pode ser adotada em todas as versões deste ano.

O valor inicial dos celulares deve ser de 649 dólares (algo entre 3.500 reais na cotação atual, sem levar em conta os impostos adicionados a importações).

Todos os olhos estão voltados para a maçã — que teve de atrasar seu tradicional evento de anúncio dos iPhones de setembro para outubro por conta da pandemia do novo coronavírus. Resta esperar para ver.

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.