Microsoft cria centro de capacitação para desenvolvedores em SP

Em parceria com a brasileira Distrito, a companhia americana irá oferecer treinamentos online e, futuramente, presenciais

A Microsoft inaugura nesta quarta-feira (17) um novo centro de capacitação para desenvolvedores em São Paulo, por meio de uma parceria com a empresa brasileira de treinamentos Distrito. O Brasil é o primeiro país da América Latina a ter uma unidade da iniciativa global chamada Microsoft Reactor, que visa oferecer treinamentos para desenvolvedores de startups, empreendedores e empresas estabelecidas.

Inicialmente, todos os treinamentos técnicos serão oferecidos via internet. No futuro, com o controle da pandemia do novo coronavírus, os treinamentos presenciais e eventos devem acontecer também nas unidades da Distrito.

Franklin Luzes, vice-presidente de operações da Microsoft Operações, afirma que o projeto foi trazido ao Brasil para auxiliar a comunidade de tecnologia na missão de se tornar referência global. “O Reactor tem uma relação muito grande com a missão da Microsoft, que é capacitar todas as pessoas e organizações do planeta para ajudá-las a conquistar mais. O Reactor é um centro de aprendizagem compartilhado, no qual nós provemos treinamentos, capacitações, mentorias, encontros e eventos. A gente se conecta à comunidade local de desenvolvedores, empreendedores e startups para fomentar a inovação. Queremos que o Brasil cresça e seja reconhecido internacionalmente como referência em inovação”, disse Luzes, em entrevista à EXAME.

Gustavo Araujo, sócio da Distrito, conta que a empresa tem cinco centros de treinamento no Brasil e que, no Microsoft Reactor, serão oferecidos também treinamentos internacionais, em diferentes horários do dia para atender a todos os desenvolvedores interessados em aprender alguma habilidade via internet. “O papel da Distrito é ajudar startups a atingir o mesmo nível de conhecimento técnico visto em outros países. Algumas tecnologias são vitais para a transformação digital que vivemos, como computação em nuvem e inteligência artificial. O empreendedor brasileiro precisa dominar essas habilidades e queremos ajudá-lo nisso”, afirmou Araujo à EXAME.

Embora os cursos ligados a tecnologia formem 46.000 profissionais por ano, segundo a Brasscom, essa quantidade não é suficiente para atender as empresas do setor, que abrem 70.000 vagas por ano. Por isso, a tendência é que a falta de mão de obra para trabalhar na área de tecnologia se agrave com o passar do tempo. Só nos próximos cinco anos, a expectativa é que sejam contratados 420.000 profissionais dessa área no Brasil.

Por isso, não só a Microsoft, mas grande parte das empresas de tecnologia, como a chilena Sonda, precisam ficar atentos ao treinamento dos seus próprios funcionários e parceiros, como uma maneira de, ao mesmo tempo, reter talentos que almejam avançar na carreira e se beneficiar do conhecimento adquirido por esses profissionais.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.