Menina de 12 anos pretende processar TikTok por uso de dados de crianças

Aplicativo chinês é acusado de coletar dados de menores de 13 anos de idade

A rede social de compartilhamento de vídeos curtos, TikTok, pode estar prestes a entrar em uma batalha judicial com uma londrina de 12 anos de idade. Ela alega que o aplicativo está usando os dados de crianças ilegalmente, indo contra as leis de privacidade do Reino Unido e da União Europeia.

O juiz Mark Warby da Suprema Corte inglesa decidiu, na quarta-feira, 30, que a menina tem direito de permanecer anônima para evitar que ela seja intimidada por colegas de classe ou até influenciadores da rede social. Ela também tem apoio da Comissária das Crianças da Inglaterra, Anne Longfield, cargo que faz parte do Departamento de Educação do governo britânico.

Para Longfield, a esperança é que o caso resulte na exclusão dos dados da menina. De acordo com informações da BBC, ela também "espera que o caso leve a maiores medidas de proteção para menores de 16 anos que usam o TikTok na Inglaterra e possivelmente além".

O algoritmo do TikTok analisa os dados pessoais e as preferências dos usuários a fim de otimizar o conteúdo apresentado e manter a atenção do espectador.

De acordo com informações da Sky News, os advogados da menina acusam a plataforma de coletar ilegalmente dados pessoais de menores de 13 anos para lucrar com clientes corporativos.

Nos termos e condições do aplicativo, crianças menores de 13 anos são proibidas de ingressar no TikTok, porém muitas conseguem facilmente contornar o regulamento e criar uma conta.

"Privacidade e segurança são as principais prioridades do TikTok, e temos políticas, processos e tecnologias robustas para proteger todos os usuários e, em particular, nossos usuários mais jovens", disse um representante do TikTok ao Business Insider. A empresa afirma que remove as contas que aparentam ser usadas por menores de 13 anos.

O aplicativo chinês já foi confrontado por sua coleta de dados anteriormente. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou o TikTok de estar compartilhando dados de usuários americanos com Pequim, e até chegou a tentar proibi-lo de funcionar no país. Nenhum acordo foi firmado até hoje e o aplicativo foi um dos mais baixados mundialmente em 2020.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.