Google pode cobrar de fabricantes até US$ 40 por aparelho por seus apps

Valor pode variar de acordo com o país e o modelo do aparelho

São Paulo — Fabricantes de smartphones na Europa que quiserem continuar usando apps do Google em seus aparelhos terão que lidar com um custo extra bem alto. É isso, pelo menos, que indicam alguns documentos confidenciais obtidos pelo The Verge. Segundo reportagem do site, as empresas terão que desembolsar até 40 dólares por aparelho para ter a suíte de aplicativos do Google pré-instalada — pacote este que inclui a loja Google Play.

As taxas devem variar de país para país e começar a valer para aparelhos fabricados a partir do dia 1º de fevereiro do ano que vem. Os custos também poderão variar de acordo com a densidade de pixels da tela, calculado a partir do tamanho e da resolução do display. Nos países com preços mais altos, os 40 dólares serão relativos a aparelhos com mais de 500 pixels por polegada (ppi). São modelos do nível do Galaxy Note 9, por exemplo.

De acordo com os documentos, o custo cai para 20 dólares em modelos que fiquem entre 400 e 500 ppi e para 10 dólares para os aparelhos que ficarem abaixo disso. Os valores serão mais baixos em algumas regiões do bloco econômico e também serão diferentes no caso de tablets.

É possível, no entanto, que as fabricantes nem precisem lidar com esse alto preço, que poderia acabar refletido no valor final dos aparelhos — que já estão cada vez mais caros. Segundo o The Verge, o Google também terá algumas "ofertas especiais" para companhias que toparem pré-instalar o Chrome e a barra de busca nos aparelhos.

Seria uma forma de tornar a política menos potencialmente prejudicial para a empresa. Ainda que seja só uma possibilidade, visto que a empresa já está bem consolidada no mercado com sua loja de apps, o Google arrisca perder alguns parceiros ao cobrar por ela. Concorrentes com outras lojas virtuais também podem vir a surgir — vide o caso da China, onde várias empresas aproveitam a ausência da companhia para promover suas próprias app stores. EXAME entrou em contato com o Google para comentar o caso e a matéria será atualizada com o posicionamento da empresa.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.