Funcionários da Apple criam petição contra retorno ao trabalho presencial

Movimentação interna acontece após o gigante de tecnologia anunciar plano para que os funcionários retornem ao escritório ao menos três vezes por semana
Apple: (Paul Souders/Getty Images)
Apple: (Paul Souders/Getty Images)
A
André Lopes

Publicado em 22/08/2022 às 17:02.

Última atualização em 22/08/2022 às 17:24.

Na terça-feira, 16, a Apple (AAPL34) comunicou que seus funcionários deverão voltar a trabalhar presencialmente pelo menos três vezes na semana a partir de setembro. No entanto, o plano da empresa parece não ter agradado as equipes afetadas pela medida.

É o que mostra o manifesto preparado por um grupo de funcionários da Apple, batizado de Apple Together (“Apple Unida”, numa tradução livre), e que lançou uma petição nesta segunda-feira, 22, exigindo flexibilização dos horários e locais de trabalho.

O documento foi divulgado no Twitter e argumenta que os últimos dois anos mostraram que os funcionários podem realizar um “trabalho excepcional" em casa.

Desde o meio do ano, a Apple já tem recebido seus colaboradores pelo menos duas vezes na semana de forma presencial.

Em um memorando interno, o CEO, Tim Cook, afirmava que o esforço mais recente era para restaurar a "colaboração face a face”. Contudo, como indica a petição, nem todos acreditam que esse seja o melhor caminho.

LEIA TAMBÉM:

Apple pretende lançar iPhone 14 em 7 de setembro

Apple demite recrutadores em plano de redução de contratações