Falha de segurança expõe dados de 4 milhões de servidores federais dos EUA

Autoridades americanas suspeitam que o ataque tenha origem na China

A agência do governo dos Estados Unidos que coleta informações pessoais sobre funcionários públicos federais disse nesta quinta-feira (4) que uma falha de segurança eletrônica atingiu os dados de cerca de 4 milhões de trabalhadores atuais ou que já deixaram o serviço público.

Autoridades dos EUA suspeitam que o ciberataque originou-se na China, segundo relatos da imprensa.

O Escritório de Gestão de Pessoal (OPM, na sigla em inglês) detectou uma nova atividade maliciosa afetando seus sistemas de informação em abril e o Departamento de Segurança Interna (DSI) disse que concluiu no início de maio que os dados da agência foram comprometidos.

A falha afetou os sistemas de dados do OPM e seus dados armazenados em um data center no Departamento de Interior, que é um centro de serviços compartilhado por agências federais, disse um funcionário do DSI sob condição de anonimato. O funcionário não disse se dados de outras agências também foram afetados.

O FBI está investigando a falha. O OPM disse que vai notificar as 4 milhões de pessoas afetadas e oferecer monitoramento de crédito e serviços de proteção ao roubo de identidade.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.