A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

eBay completa 25 anos com poucos motivos para comemorar

Companhia que dominou no comércio eletrônico no fim dos anos 1990 perdeu espaço e agora não é nem a principal rival da Amazon no e-commerce      

O dia 3 de setembro de 2020 marca o aniversário de 25 anos do eBay. Fundada em 1995, a companhia chegou a liderar e-commerce americano no começo dos anos 2000. A popularização do varejo digital, porém, trouxe novos competidores à disputa e, mesmo com número saudáveis, a batalha contra gigantes como Amazon e Walmart parece estar cada vez mais complicada.

A companhia foi fundada por Pierre Omidyar e estruturada na região de San Jose, na Califórnia. A ideia era de que a plataforma, então chamada de Auction Web, pudesse ajudar o empreender a vender itens próprios na internet, como um apontador quebrado por 14,83 dólares. Rapidamente e com a popularização da internet nos EUA, o site tornou-se a principal plataforma comércio eletrônico de produtos usados, seja por venda direta ou por leilão.

A companhia empolgou o mercado. Quando realizou seu IPO, em 1998, as ações anunciadas por 18 dólares subiram para 53 dólares, tornando Omidyar bilionário. A companhia atingiu valor de mercado de quase 1,9 bilhão de dólares em seu pregão inicial. O valor era bem acima das previsões de analistas financeiros que estivam que a companhia atingiria uma avaliação próxima de 1 bilhão de dólares.

Mais de duas décadas se passaram desde então e não muito o que se comemorado no dia de hoje. Em junho deste ano, o eBay perdeu a vice-liderança do e-commerce americano para o Walmart. De acordo com a consultoria eMarketer, o eBay deteve 4,5% das vendas online do mês de maio contra m percentual de 5,8% da rival. A Amazon lidera com uma folgada fatia de 38%. Apple (3,5%) e Home Depot (1,9%) seguem na sequência.

No mercado a situação segue estável. Ou melhor, bem saudável. Desde o começo do ano, os papéis do eBay já subiram 50% e o valor de mercado já é superior a 37,8 bilhões de dólares. Para efeito de comparação, as ações do Walmart subiram “apenas” 23% no mesmo período. A varejista, porém, está avaliada em mais de 408 bilhões de dólares.

O fato de o eBay valer menos de um décimo do Walmart e ter valor de mercado pelo menos 40 vezes menor do que a Amazon mostra mais do que apenas um futuro cada vez mais monopolizado pelas gigantes da tecnologia. É uma lembrança de que a internet mudou e quem não se adaptou a nova forma de fazer negócios vai ficar cada vez mais preso ao passado.

Quando adquiriu o PayPal, de Elon Musk, em 2002 por apenas 1,5 milhão de dólares, o eBay dava um passo importante para facilitar as transações financeiras. Mas não foi o suficiente para combater o crescimento da Amazon no mesmo período. Curiosamente, hoje o PayPal, que não pertence mais ao eBay, é cinco vezes maior do que seu antigo dono, valendo 228 bilhões de dólares.

A separação, feita em 2015, inclusive, foi um golpe duro nas receitas do eBay. Mesmo que venha se recuperando lentamente ao longo dos últimos anos, o faturamento da empresa ainda está distante de seus dias de glória, em 2014. Mesmo com alta de 18,2% no faturamento trimestral de 2020 ante o período de 2019, o valor de 2,8 bilhões de dólares ainda é mais de 30% menor do que os 4,1 bilhões de dólares obtidos no mesmo trimestre de 2014.

Mas é preciso destacar um ponto positivo: se não está mais em sua melhor forma, o eBay segue sendo uma empresa saudável. No segundo trimestre deste ano, a companhia teve lucro líquido de 746 milhões de dólares – 85% a mais do que no mesmo trimestre de 2019. No semestre, o lucro líquido já é de 4,1 bilhões de dólares, quatro vezes maior do que no ano passado. Os números podem não ser os mais altos da indústria, mas pelo menos não são pintados de vermelho.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também