Tecnologia

Conta Simples leva aporte milionário e quer triplicar faturamento em 2021

Fundada em 2019, a fintech chamou a atenção dos investidores ao criar um serviço de conta bancária digital voltado exclusivamente para PMEs

Conta Simples: fintech recebeu aporte de de US$ 2,5 mi (Germano Lüders/Exame)

Conta Simples: fintech recebeu aporte de de US$ 2,5 mi (Germano Lüders/Exame)

Mariana Martucci

Mariana Martucci

Publicado em 11 de dezembro de 2020 às 19h39.

A startup Conta Simples, de solução de contas digitais para PMEs, acaba de receber um novo aporte de US$ 2,5 milhões liderado pelo fundo Quartz, especializado em e-commerce e fintechs. Rodada de investimento também contou com a participação dos fundos FJ Labs Big Bets, DOMO, Ab Seed e dos ex-sócios da XP Marcelo Maisonnave, Eduardo Glitz e Pedro Englert. Em julho, a startup já havia recebido um aporte da Y Combinator, uma das maiores aceleradoras do mundo, além de ter sido selecionada no programa de aceleração do BTG.

Fundada em 2019 em São Paulo, a Conta Simples chamou a atenção dos investidores ao criar um serviço de conta bancária digital voltado exclusivamente para pequenas e médias empresas (PMEs) — um nicho ainda pouco explorado no Brasil —, além de auxiliar o gerenciamento de pagamentos, campanhas de marketing e assinaturas através de uma solução de múltiplos cartões corporativos.

Liderada pelo fundador e CEO Rodrigo Tognini, a Conta Simples tem hoje mais de 13 mil clientes. "Queremos ser a melhor solução financeira para os empreendedores e gestores financeiros, dando não apenas acesso a produtos e serviços, mas ajudando nas atividades do dia a dia, reduzindo tempo e deixando eles focarem no que realmente importa. Somos um parceiro do empreendedor", conta Tognini. Para o CEO da startup, o grande diferencial é que existe a possibilidade de os clientes emitirem cartões corporativos ilimitados para realizar compras e pagamento de fornecedores.

Os cartões virtuais não possuem taxa e nem custo de adesão. Além disso, podem ser gerenciados através de aplicativo ou internet banking, sendo possível que o cliente pague contas, faça transferências, receba dinheiro, emita boletos, consulte saldo, extratos e comprovantes de forma simplificada.

Em agosto deste ano, a empresa atingiu o "break-even", ou seja, começou a gerar lucro. Com o investimento, a fintech pretende crescer em ritmo ainda mais acelerado em 2021, trazendo novos produtos para as empresas de tecnologia e startups, principalmente as que atuam no mundo digital. Com isso, a expectativa da Conta Simples é triplicar o faturamento no próximo ano, solucionando as dores dos clientes.

 

Acompanhe tudo sobre:FintechsInvestidoresmeios-de-pagamentoPequenas empresasStartups

Mais de Tecnologia

81% da Geração Z no Brasil deixa de usar apps por preocupações com privacidade, diz pesquisa

O que é a Wiz, empresa que pode ser comprada por R$ 124 bilhões pelo Google

Musk prevê Neuralink dando 'superpoderes de ciborgues' a humanos

Amazon Prime Day 2024: megapromoção oferece descontos de até 50%

Mais na Exame