Mirando em mobilidade sustentável, Uber leva carros elétricos a 22,5 milhões de usuários

Com mil motoristas dirigindo veículos elétricos durante o primeiro semestre de 2022, o app afirma ter compensado 109 mil toneladas de CO2 na América Latina
Uber mais sustentável: app reduz emissão de carbono na América Latina com expansão da frota elétrica (Patricia Monteiro/Bloomberg)
Uber mais sustentável: app reduz emissão de carbono na América Latina com expansão da frota elétrica (Patricia Monteiro/Bloomberg)
A
André Lopes

Publicado em 24/10/2022 às 09:30.

Última atualização em 24/10/2022 às 09:39.

Em 2021, a Uber anunciou no Brasil a chegada do Uber Planet, uma nova categoria na plataforma que compensa as emissões de gás carbônico (CO2) durante as viagens e que visa amenizar o impacto ambiental da empresa em toda a América Latina.

Recentemente, o aplicativo alcançou algumas metas e, aproveitando o Dia Internacional Contra as Mudanças Climáticas, celebrado nesta segunda-feira, 24, divulgou os avanços do seu programa de sustentabilidade.

Entre as marcas mais notáveis, a empresa conseguiu fazer com que 22,5 milhões de usuários fizessem pelo menos uma viagem com Uber Planet, compensando 109 mil toneladas de CO2 na América Latina.

No Brasil, a Uber, em parceria com a Localiza Zarp, Renault, Raízen, Tupinambá e Carrefour, anunciou a inclusão de 200 veículos elétricos para o aluguel por motoristas parceiros da plataforma em São Paulo. Em toda a América Latina, mil motoristas parceiros utilizaram o aplicativo Uber dirigindo veículos elétricos.

Além da iniciativa brasileira, atualmente a Uber tem projetos com carros elétricos em outros países da região, como Equador, Peru, Chile, México e República Dominicana e, em breve, a iniciativa será expandida também para Costa Rica e Colômbia.

VEJA TAMBÉM:

“Ser uma plataforma zero emissões é um desafio que vai além das ações da Uber, porque este é um objetivo que não podemos alcançar sozinhos. Por isso, iniciamos conversas com montadoras de veículos, governos e nas comunidades onde estamos inseridos para encontrar soluções conjuntas para essa transformação em benefício do planeta”, afirma George Gordon, vice-presidente geral da Uber para a América Latina.

Os usuários que optam por viajar com o Uber Planet pagam um pequeno valor adicional que é usado para investir em créditos de carbono que compensam o CO2 que chega à atmosfera. A iniciativa é realizada em parceria com a Carbonext no Brasil.

Sustentabilidade à prova

Aplicativos de transporte como Uber e 99 já se colocavam como o opções mais sustentáveis, pois tiram carros das ruas quando as pessoas deixam seus veículos em casa e optam pelo uso compartilhado.

Porém, há estudos que sugerem que o que ocorre é exatamente o contrário: ao invés de contribuir para a diminuição das emissões de gases poluentes, os apps de carona podem resultar num aumento da poluição.

Um levantamento do Union of Concerned Scientists (“União de Cientistas Preocupados”, uma organização sem fins lucrativos de cientistas para proteção ambiental), afirma que viagens de carona resultam, em média, em um aumento de 69% na poluição climática do que as viagens que eles supostamente deveriam substituir.

Esse impacto ocorre especialmente nas cidades grandes, onde viagens de aplicativos são atrativas e substituem transportes de baixo carbono, como transporte público, ciclismo ou caminhada.

Com a frota elétrica em expansão, a Uber ganha a chance de equilibrar a balança.