A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Chromebook Acer C710

logo-infolab

Avaliação de Airton Lopes / Apesar de compacto, este notebook de 11,6 polegadas sofre quando precisa sair de casa. A razão é o sistema Chrome OS e seus aplicativos online. Com o C710 conectado, dá para lidar com documentos, planilhas, apresentações, fotos, vídeos e jogos simples de forma satisfatória. No entanto, sem internet por Wi-Fi ou cabeada, poucos apps funcionam. O Google Docs é uma exceção. Um ponto a favor do Chrome OS é a segurança. O sistema sofre pouco com ataques de vírus e mantém um backup dos arquivos nos 100 GB oferecidos na nuvem do Google Drive.

O notebook possui apenas 16 GB para armazenamento local, três portas USB 2.0, nenhuma USB 3.0, teclado fora do padrão brasileiro e acabamento simples. Apesar de modesta, a configuração mostrou-se suficiente para um Chromebook. Nos testes do INFOlab, a máquina não apresentou perda de fluidez ao executar as tarefas mais comuns. Mas a duração da bateria (2h39min) decepciona.

Avaliação de Lucas Agrela / A Acer foi a primeira empresa a trazer um chromebook oficialmente ao mercado brasileiro, apesar de não contar com produção nacional. Esses aparelhos são notebooks com sistema simplificado que têm o objetivo de oferecer uma boa experiência de navegação na internet. Nesse ponto,  o Acer C710 cumpre bem a sua função. Mesmo com uma configuração de hardware bem mais fraca do que a de computadores com processadores Intel Core i3 de 4ª geração, usar serviços do Google e rodar aplicativos no navegador são tarefas que podem ser executadas de forma eficaz.

O aparelho tem tela de 11,6 polegadas e pesa 1,4 kg. Sendo assim, a portabilidade é um ponto forte do produto. No entanto, os chromebooks precisam constantemente de conexão com a internet, algo que o limita a ser um companheiro para todas as horas com a ressalva de que haja um Wi-Fi por perto.

Design e construção

O design do C710 é simples, assim como o do concorrente Samsung Chromebook. Há apenas os logotipos da fabricante e do Chrome estampados na parte traseira da tela. O aparelho está disponível no mercado nacional em um tom fosco de cinza. Na parte interna, no entanto, a cor preta do teclado é chamativa.

As laterais são arredondadas o que ajuda a quem pretende levá-lo na mochila. Um ponto negativo na construção do aparelho, que é uma consequência comum na importação de produtos dessa categoria, é que o teclado não está no padrão brasileiro, o ABNT 2. Ou seja, nada de uma tecla dedicada para a letra “ç” e os acentos e símbolos têm posicionamento diferente. Isso, no entanto, pode ser parcialmente resolvido na configuração do sistema.

O teclado tem botões especiais de atalhos do Google Chrome OS. São eles: busca (ao lado do Fn e repetido ao lado do Alt gr), controle de navegação no browser (F1 até F3), tela cheia (F4) e alternar entre aplicativos abertos (F5) e alguns mais convencionais como: brilho (F6 e F7), controle de volume (F8 e F9) e Wi-Fi (F10).

O touchpad do aparelho reconhece gestos de até dois dedos e, devido ao tamanho reduzido da carcaça, ele tem um formato retangular e parece um tanto achatado.

http://videos.abril.com.br/info/id/4caf2b1f6d6bb847cf60fbdecdc834bb

Configuração e Sistema

O chromebook da Acer tem processador Intel Celeron 10007U com velocidade máxima de 1,5 Ghz, 2GB de memória RAM, roda sistema Chrome OS e tem um SSD de 16GB. Fica claro que há smartphones vendidos no mercado brasileiro têm configurações superiores às deste produto, como é o caso do Samsung Galaxy S5. Entretanto, o sistema Chrome OS, que é uma espécie de melhoria do famoso navegador do Google, não requer um hardware potente para oferecer uma boa experiência de uso. 

Isso acontece porque, essencialmente, tudo no Acer C710 depende da conexão com a internet e não diretamente da força de processamento da máquina. Não é possível instalar aplicativos pesados no aparelho como se faz no Windows, Linux ou no Mac OS X. Tudo que é compatível com o sistema do Google para notebooks está disponível na loja de complementos chamada de Chrome Web Store. Sendo assim, os programas executados no próprio dispositivo são, na verdade, plug-ins de browser, que podem também ser usados em qualquer aparelho que tiver o navegador Chrome instalado.

O tempo de inicialização impressiona por ser extremamente curto: são necessários apenas 7 segundos, de acordo com os testes do INFOlab.

Como há uma otimização entre hardware e software, o Acer C710 tem pouca, quase nenhuma, compatibilidade possível com outros sistemas (Windows ou Mac OS X), exceto com algumas versões do Linux. O produto é uma espécie de tablet com teclado ou simplesmente um notebook simplificado.

Algo interessante é que, o Google Chrome tem uma função chamada Powerwash para zerar a máquina (remover todos os usuários e arquivos). O processo é bem rápido, já que o espaço para armazenamento interno é bastante reduzido.

Uma vantagem desse aparelho, em termos de sistema, é que a quantidade de vírus é bastante reduzida. Não há um antivírus que funcione no produto, mas o Google oferece constantemente atualizações de segurança que são instaladas sem solicitar a aprovação do usuário. Ou seja, quem nunca teve contato com computadores com sistema Windows ou os acha muito complicados pode usar com relativa tranquilidade um chromebook.

Para suprir a pouca memória do produto, o consumidor ganha por dois anos 100GB de espaço de armazenamento de arquivos na nuvem Google Drive. Isso estimula o uso do notebook como ele foi idealizado: sempre conectado à internet — e aos serviços do Google.

Quem pensa em comprar o produto e quer assistir filmes no Netflix não precisa de preocupar. Necessária para reprodução de vídeos no site, a extensão SilverLight, da Microsoft, tem suporte ao Chrome OS.

O Acer C710 também tem saídas HDMI e VGA, além de três portas USB2.0.

Bateria

No teste do INFOlab, realizado com o chromebook ligado à internet e reproduzindo vídeos continuamente, a autonomia de bateria não foi surpreendente: 2h39. No entanto, se a bateria acabar, o comportamento do software do aparelho é interessante. Ele volta ao ponto em que o vídeo parou quando conectado novamente à energia.

Som

O som é estéreo e as caixas são localizadas abaixo do teclado. A qualidade do som , entretanto,  não é das melhores, apesar de estar dentro do esperado para o seu porte. Por exemplo, não há equalizações específicas. A melhor solução para o público mais exigente é usar um fone externo. E, neste caso, vale mencionar que o conector P2 é misto — permitindo inclusive usar fones com headset para usar o HangOuts.

Vale a pena?

O chromebook Acer C710 é um aparelho que tem foco em um público que usa o computador somente para navegar na internet e usa com frequência os serviços web do Google, como o Docs, Drive, Hangouts e afins. Portanto, ele pode ter aplicações interessantes não só para o consumo de informações no dia a dia, mas também em escolas que usem o pacote Google Apps, por exemplo.  Entretanto, os chromebooks fazem sucesso nos Estados Unidos porque são vendidos por um preço baixo, entre 200 e 300 reais. Dessa forma, eles são muito mais baratos do que notebooks com Windows, Macbooks e até mesmo a maioria dos tablets com telas de 10 polegadas. No Brasil, por outro lado, a faixa de preço não está distante da de computadores portáteis com sistema Windows e hardware mais potente que oferecem diversas possibilidades de aplicações. Ou seja, depende muito do objetivo do usuário com este produto. Ele é, por exemplo, um excelente intermediário entre notebook e tablet.

Ficha técnica

Processador Intel Celeron 1007U - 1,5 GHz (2 núcleos e 2 threads)
cache 2 MB (Smart Cache)
Chipset (Northbridge e Southbridge) Intel NM70 Express
Memória RAM 2 GB DDR3
Armazenamento SSD 16GB
Conexões 3 USB 2.0, HDMI, VGA
Bateria 2h39
Peso 1,4 kg

Avaliação técnica

Prós Boa experiência de navegação, design portátil
Contras Teclado fora do padrão nacional; bateria de pouca duração
Conclusão Bom aparelho para acessar a internet, uma alternativa aos tablets
Configuração 6.0
Vídeo e Áudio 6.0
Usabilidade 6.2
Design 7.4
Média 6.6
Preço R$ 1.299

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também