Tecnologia

Atendimento e vendas pelo Instagram? Zendesk torna isso possível

A startup, uma das maiores do ramo, agora tem integração com Facebook, WhatsApp e Instagram

 (Chesnot / Colaborador/Getty Images)

(Chesnot / Colaborador/Getty Images)

Lucas Agrela

Lucas Agrela

Publicado em 20 de outubro de 2020 às 17h42.

Se você já quis interagir com uma empresa via Instagram, mas percebeu que seria mais fácil e rápido obter retorno em outros canais de atendimento, como e-mail ou Facebook, fique tranquilo porque isso ficou no passado. A partir desta semana, o Instagram estará integrado à plataforma de atendimento ao cliente da Zendesk, uma das maiores startups do ramo no mundo.

Os dois principais cenários de uso da ferramenta tecnológica são quando um consumidor pergunta o status da sua encomenda e quando ele pede mais informações sobre uma promoção exibida nos Stories, a área de imagens que desaparecem em 24 horas no Instagram. As informações ficarão em um histórico integrado para que as empresas possam oferecer atendimento personalizado a cada cliente.
Quer saber como a inovação pode ajudar o seu negócio? Faça o curso Inovação na prática.

Segundo a Zendesk, os atendimentos via aplicativos de mensagens, como WhatsApp, Facebook Messenger, Twitter e SMS aumentaram quase 50% de fevereiro a agosto deste ano.

“Com sua enorme popularidade, o Instagram é um acréscimo importante para que as empresas atendam aos clientes que acessam o Instagram de maneira mais oportuna, consistente e pessoal”, disse Mike Gozzo, vice-presidente de produto da Zendesk, em nota para a EXAME.

O relatório anual Zendesk Benchmark aponta que os aplicativos de mensagens têm a maior taxa de satisfação do cliente de qualquer canal, chegando a 98%.

Baseada em São Francisco, na Califórnia, a Zendesk conta com 160 mil clientes e sua solução de atendimento ao cliente, integrada com aplicativos como WhatsApp e Facebook, está disponível em 30 idiomas.

Com a quarentena pelo novo coronavírus, empresas tiveram que se reinventar para continuar a vender e os aplicativos de mensagens, bem como as redes sociais, se tornaram canais importantes de comunicação com consumidores.

Para Yuval Ben-Itzhak, presidente global da consultoria de redes sociais Socialbakers, a tendência pode fortalecer as companhias que aderirem às vendas por canais digitais.

“Em tempos de crise precisamos parar e fazer um balanço de onde estamos investindo tempo e recursos. A crise pode apresentar uma oportunidade de pensar de maneira diferente e mudar de tática para se fortalecer. Sabemos que os usuários estão comprando mais via smartphone do que nunca. Cerca de 79% dos usuários de smartphones fez uma compra usando seu celular nos últimos 6 meses. Além disso, hoje as plataformas têm as ferramentas para gerenciar o atendimento ao cliente e a comunidade. Então, por que não aproveitar o alcance e a infraestrutura que elas oferecem? Eu instigaria os que ainda não estão usando o social commerce a começar a considerar como isso poderia servir a eles e seus negócios. Ao comercializar com inteligência hoje, as empresas podem ser ainda mais fortes amanhã”, afirmou Ben-Itzhak à EXAME.

Seja por Instagram, WhatsApp, Facebook ou Twitter, as vendas por canais digitais, especialmente por aplicativos de mensagens, se consolidaram em 2020 e vieram para ficar.

Acompanhe tudo sobre:Atendimento a clientesFacebookFacebook MessengerInstagramWhatsAppZendesk

Mais de Tecnologia

Motorola Moto G24 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy A54 é bom? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy M35 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy S23 FE vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Mais na Exame