• BVSP 121.113,93 pts +0,3%
  • USD R$ 5,5888 -0,0278
  • EUR R$ 6,6970 -0,0256
  • ABEV3 R$ 15,79 -0,50%
  • BBAS3 R$ 29,75 +0,37%
  • BBDC4 R$ 26,15 +1,36%
  • BRFS3 R$ 23,6 -2,88%
  • BRKM3 R$ 50,09 +3,24%
  • BRML3 R$ 9,8 +0,20%
  • BTOW3 R$ 68,11 -0,12%
  • CSAN3 R$ 90,81 -0,27%
  • ELET3 R$ 35,5 +3,80%
  • EMBR3 R$ 15,77 -1,19%
  • Petróleo US$ 66,70 -0,16%
  • Ouro US$ 1.777,30 +0,59%
  • Prata US$ 26,04 +0,44%
  • Platina US$ 1.206,00 +0,74%

Apple desbanca projeções e tem receita recorde de US$ 111 bilhões no 4º trimestre

Avaliada em quase 2,4 trilhões de dólares, a fabricante do iPhone viu seu faturamento disparar 21% no último trimestre de 2020

A Apple revelou seus resultados do balanço do 4º trimestre de 2020 e que corresponde ao 1º trimestre fiscal de 2021 da empresa. Como previsto anteriormente, a companhia de Cupertino fechou o período com alta em seus números financeiros. Mas foi além disso. A companhia teve um trimestre de ouro nas vendas de produtos como iPhones e MacBooks e também na receita obtida com serviços.

Durante os meses de outubro até dezembro de 2020, a Apple obteve receita de 111,4 bilhões de dólares. O resultado é 21% maior do que os 91,8 bilhões de dólares obtidos no mesmo trimestre de 2019. Deduzidos os custos da operação, o lucro da Apple fechou trimestre com alta de 29% em 28,7 bilhões de dólares ante os 22,2 bilhões de dólares de 2019.

O lucro por ação ficou em 1,68 dólar por cada papel da empresa, acima da previsão de 1,41 dólar por ação. Neste ponto, vale destacar que as ações da Apple tiveram alta superior a 13% entre o começo de outubro e o fim de dezembro. Avaliada em quase 2,4 trilhões de dólares, a Apple fechou o pregão desta quinta-feira com queda de 0,77% nas ações.

A empresa comandada por Tim Cook continua obtendo a maior parte (quase 86%) de sua receita com o setor de produtos, que rendeu 95,6 bilhões de dólares contra 79,1 bilhões em 2019. O destaque fica com as vendas de iPhones, que somaram 65,6 bilhões de dólares, alta de 17% ante o mesmo trimestre do ano retrasado.

A Apple ganhou quase 8,7 bilhões de dólares (alta de 21%) com seus computadores, que incluem MacBooks, iMacs, entre outros e que agora possuem processadores da própria empresa da maçã. A receita com iPads cresceu 41% e somou 8,4 bilhões de dólares. Outros dispositivos, como fones e alto-falantes inteligentes, somaram receita com alta de 21% para quase 13 bilhões de dólares.

O setor de serviços que engloba plataformas como Apple Music e a App Store e que já havia faturando pouco mais de 12,7 bilhões de dólares, agora já é responsável por 15,7 bilhões de dólares da receita da fabricante do iPhone. Percentualmente, isso representa ainda apenas 14% do faturamento total.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.