99 passa a aceitar pagamento de corridas com Pix

O aplicativo teve impacto de 15 bilhões de reais na economia brasileira em 2020, segundo dados da Fipe

A 99 passa a permitir pagamentos de corridas via Pix a partir deste mês de julho. O método de pagamento é integrado ao aplicativo e, nesta primeira etapa de lançamento, está disponível nas cidades de Maringá, Santos, Brasília, Limeira, Bauru, Piracicaba, Ponta Grossa e Cuiabá. O Pix já é usado por 6 a cada 10 brasileiros.

O pagamento de corridas via Pix na 99 não é feito para a conta pessoal do motorista. Em vez disso, a transferência é feita para o aplicativo, como acontece no pagamento de qualquer compra em sites de comércio eletrônico que aceitam esse tipo de transferência. A 99 alerta para que nenhum passageiro realize pagamentos para a chave Pix do motorista da corrida.

"O recurso permite que o usuário faça transações financeiras em uma plataforma amigável e, ao mesmo tempo, oferece ao motorista parceiro mais uma forma rápida de recebimento ainda dentro da nossa plataforma, tudo isso sem ter que pagar taxas de transferências bancárias”, afirma, em nota para EXAME, Maurício Orsolini Filho, diretor de pagamentos da 99.

O Pix também está agora disponível para transferências de valores na carteira digital 99 Pay, que pode ser usada para transfências entre pessoas. Apesar da chegada inicial do recurso a algumas cidades brasileiras, os pagamentos via Pix na 99 ainda não têm data definida para chegar a todo o território nacional.

A concorrente no mercado de corridas por aplicativo Uber também aceita pagamentos com Pix desde o ano passado.

Parte da Didi Chuxing, maior empresa de corridas por aplicativo do mundo, a 99 busca a construção de um ecossistema de serviços ligados à mobilidade e aos pagamentos digitais para facilitar o transporte de pessoas. Em estudo recente, feito pela Fipe, a empresa teve impacto de 15 bilhões de reais na economia brasileira no ano de 2020. De acordo com a consultoria Mordor Intelligence, o mercado global de corridas solicitadas por aplicativo teve faturamento de 113 bilhões de dólares em 2020.

  • Não perca as últimas tendências do mercado de tecnologia. Assine a EXAME

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também