58% dos brasileiros sofreram crimes cibernéticos, aponta estudo da Norton

Estimativa é que 32 bilhões de reais foram perdidos para resolver problemas gerados pelo cibercrime somente no ano passado
 (Westend61/Getty Images)
(Westend61/Getty Images)
Por Laura PanciniPublicado em 11/03/2022 10:02 | Última atualização em 11/03/2022 10:07Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A empresa de cibersegurança Norton divulgou recentemente os resultados de sua pesquisa, conduzida em parceria com o The Harris Poll, que destaca o Brasil como o terceiro país com mais dispositivos infectados por ameaças. De acordo com a análise, mais da metade (58%) dos brasileiros entrevistados afirma ter sofrido um crime cibernético em 2021.

A pesquisa estima que cerca de 71 milhões de brasileiros sofreram ataques cibernéticos nos últimos 12 meses, e que mais de 828 milhões de horas foram gastas (uma média de 11,6 horas por pessoa) tentando resolver os problemas.

Entre os entrevistados, 37% afirmam que detectaram software malicioso em um computador, rede Wi-Fi, smartphone, tablet, casa inteligente ou outro dispositivo conectado e 10% sabem que suas informações pessoais foram expostas em um vazamento de dados.

A estimativa é que 32 bilhões de reais foram perdidos somente no ano passado, já que mais da metade das vítimas de crimes cibernéticos do último ano foi impactada financeiramente.

Dentre os 10 países entrevistados (Austrália, Brasil, França, Alemanha, Índia, Itália, Japão, Nova Zelândia, Reino Unido e Estados Unidos), o Brasil é o terceiro com mais aparelhos eletrônicos infectados por stalkerware, que são aplicativos de espionagem, e ficou atrás apenas da Índia e dos EUA.