Quanto investir no Tesouro Direto para ter R$ 150 mil em 2035?

Planejadora financeira responde dúvida de leitor sobre investimentos. Envie você também sua pergunta

Pergunta do leitor: Quero investir no Tesouro Direto para pagar a faculdade do meu filho, recém-nascido. Escolhi o Tesouro IPCA+ 2035, quando meu pequeno terá 18 anos. Não sei quanto tenho que aplicar mensalmente para que ele tenha aproximadamente 150 mil em 2035.

Existe uma ferramenta que pode me ajudar a fazer essa simulação? Como fazer investimentos mensais, automaticamente, sem comprometer a qualidade do investimento pela taxa do dia, que eventualmente pode estar baixa?

Resposta de Flavia Montoro*: 

Começar a poupar para o seu filho desde recém-nascido é uma excelente ideia.  Muitos brasileiros poderiam ter realizado seus sonhos se tivessem a mesma mentalidade e determinação para investir. No seu caso, o primeiro passo para atingir seu sonho de pagar a faculdade do seu filho já foi tomado.

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional para a venda de títulos públicos do governo federal para pessoas físicas, como eu e você. O pequeno investidor pode comprar diretamente produtos de renda fixa, que pagam uma taxa pré-fixada ou indexada à inflação ou à Selic, com diferentes prazos de vencimento.

Para começar, você só precisa abrir uma conta em uma instituição financeira habilitada para investir a partir de 30 reais. Antes, o cidadão comum só conseguia comprar esses títulos por meio de fundos de renda fixa, que cobram taxas de administração que diminuem a rentabilidade do investimento. No site do Tesouro Direto, você encontra uma lista das instituições e das taxas cobradas por cada uma.

Em relação ao seu objetivo, você escolheu sabiamente o título Tesouro IPCA+ 2035, ou NTN-B Principal, cujo prazo do vencimento do título coincide com a data que você terá o retorno do investimento, quando seu filho completar 18 anos.

Esse título é atrativo porque garante uma rentabilidade real, acima da inflação, já que seu indexador é o IPCA, um índice que mede a variação dos preços para o consumidor final no período. Ao escolher um título indexado  à inflação, você minimiza a perda do poder de compra,  já que seu objetivo é que os 150 mil reais hoje tenham o mesmo valor de compra em 2035, ou seja, que poderá pagar uma faculdade que hoje custa 150 mil reais em 2035.

Em 31 de agosto, por exemplo, o IPCA+ 2035 estava rendendo a inflação medida pelo IPCA mais uma taxa fixa de 5,24%. Isso é o mesmo que dizer o título estava pagando juros reais de 5,24% ao ano, antes do Imposto de Renda.

A Calculadora do Cidadão é uma ferramenta do Banco Central que pode ajudar a simular quanto você terá de rendimento no futuro. Escolha  a opção “aplicação com depósitos regulares”.

Para saber o valor a ser aplicado mensalmente, você precisa calcular primeiro o número de meses até o vencimento do título, a taxa de juros mensal e o valor final que deseja acumular.  No seu caso, o vencimento do título é 15/05/2035, ou 17 anos, 9 meses e 15 dias. A taxa de juros mensal será calculada a partir da taxa anual (5,24%) e o valor final será de R$ 150 mil mais o imposto a ser pago, cuja alíquota é de 15% sobre o rendimento.

Como estamos falando de juros reais, não precisamos nos preocupar com a inflação, uma variável a menos no nosso cálculo. Se realizar os cálculos acima não for tão simples para você, recomendo que procure um planejador financeiro.

No seu exemplo, vamos usar um período de 213 meses, taxa de juros mensais de 0,4265% e valor final de R$159.244,16. Colocando esses valores na Calculadora do Cidadão, o valor de depósito regular deve ser de R$ 458,29 por mês.

Ou seja, se os juros se mantiverem constantes em 5,24% ao ano (referência de 31/08/17) até o vencimento do título em, 15/05/2035, você deverá aplicar R$458,29 por mês para atingir seu objetivo.

Infelizmente, como você mesmo questiona na próxima pergunta, as taxas de juros variam diariamente e não conseguimos saber hoje qual será a taxa de juros no futuro. Se a taxa de juros cair, você deverá investir uma quantia maior mensalmente. Se a taxa subir, essa quantia poderá ser menor.  Para saber o valor exato a ser aplicado, você deverá refazer os cálculos todos os meses.

O sistema do Tesouro Direto permite agendamento de investimento com periodicidade mensal. Você pode escolher a data do recebimento do seu salário para investir mensalmente no título escolhido. Se não ocorrer grande mudança nos juros reais, você poderá manter o valor calculado no nosso exemplo e refazer os cálculos de tempos em tempos, ou quando houver muita volatilidade.

Embora seja um investimento seguro, existem três riscos nessa operação: risco de crédito, risco de mercado e risco da variação de preços.

Nesse investimento, o seu risco de crédito é baixo. Os títulos públicos são os ativos de menor risco de crédito da economia, pois são garantidos pelo Governo Federal. O risco de mercado só será um problema se você precisar resgatar o dinheiro antes do vencimento.

E, por último, há o risco de o preço da mensalidade da faculdade subir acima da inflação medida pelo IPCA, o mais difícil de mitigar. Por isso, para atingir seu objetivo, você deve periodicamente reexaminar o custo da faculdade desejada e equacionar o investimento adequadamente.

*Flavia Montoro, planejadora financeira certificada pela Planejar – Associação Brasileira de Planejadores Financeiros.

Envie suas dúvidas sobre investimentos para seudinheiro_exame@abril.com.br.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.