Os fundos que mais perderam em setembro; e a única categoria que ganhou

Relatório da Economatica mostra as categorias que tiveram pior e melhor desempenho em cada classe de aplicações

O mês de setembro não foi nada bom para quem investe em fundos de investimento. De acordo com dados da CVM e da Anbima, disponíveis na plataforma de fundos da Economatica, praticamente todas as categorias de fundos encerraram o período com rentabilidade negativa.

A pior queda no período foi registrada pela categoria de fundos do tipo Mono Ação, que caíram 9,07%. Na outra ponta apenas uma categoria registrou rentabilidade positiva no mês e não ficou abaixo do CDI: os fundos de renda fixa do tipo Dívida Externa, que tiveram na mediana valorização de 2,71%.

Veja abaixo o melhor e pior desempenho em cada classe de fundos, segundo relatório mensal feito pela Economatica:

Fundos de ações

Na mediana todas as categorias tiveram rentabilidade negativa no mês de setembro. Entre elas, seis registraram rentabilidade na mediana acima do Ibovespa.

Os fundos fechados de ações tiveram o melhor desempenho com relação ao Ibovespa com queda de -3,12% ou 1,68 ponto porcentual acima do Ibovespa.

Já o pior desempenho fica por conta dos fundos de mono ação com queda mediana de -9,07% ou -4,27 ponto porcentual abaixo do Ibovespa.

Segundo Juliana Machado, especialista em fundos da EXAME Research, os fundos de ações não tiveram um desempenho bom porque seguem o Ibovespa, que registrou queda no mês. “A piora do ambiente fiscal atinge as cotas dos fundos porque 67% do seu patrimônio tem de estar aplicado em renda variável. Se o indicador é negativo, eles seguem esse comportamento.”

Fundos Multimercados

Os fundos multimercado juros e moedas foram os únicos a registrar rentabilidade positiva no mês de setembro. Na mediana a valorização foi de 0,02%.

O pior desempenho na mediana é dos fundos multimercado do tipo Long & short Direcional, com queda de -1,27%.

Machado, da EXAME Research, explica que o mau desempenho dos fundos Multimercados acontece porque muitos estão alocados em bolsa e vêm fazendo trades com ações. “Os papéis são os melhores instrumentos para capturar crescimento econômico, mas também foram impactados por um ambiente de maior aversão ao risco no país”.

Os fundos do tipo Juros e Moedas tiveram crescimento marginal porque a possibilidade de ganho poe ser grande agora nos juros brasileiros. “Esse mercado tem mais volatilidade agora justamente por conta da incerteza em relação à questão fiscal.”

Fundos de renda fixa

Os fundos de renda fixa do tipo Dívida Externa tiveram o melhor desempenho em setembro: na mediana valorizaram 2,71%.

Já treze categorias registraram rentabilidade inferior ao do CDI no mês.

Fundos de Previdência

Os fundos de Previdência RF Duração Livre Crédito Livre tiveram o melhor desempenho no mês de setembro. Na mediana a rentabilidade é de 0,15%, seguidos pelos fundos de Previdência RF Duração Média Soberano com 0,14%.

No total, 15 das 19 categorias de previdência registraram rentabilidade negativa e nenhuma teve ganhos acima do CDI.

Metodologia

Para a elaboração do relatório a Economatica considerou as seguintes condições:

– Os cálculos de patrimônio líquido, captação líquida e a rentabilidade de cada tipo excluem os Fundos em Cotas (FC) e Fundos de investimento em cotas master (FM), evitando assim a dupla contagem.

– A mediana da rentabilidade por classificação considera todos os fundos com dados disponíveis até cinco dias anteriores à data de corte. FIDC´s, FIPS, Fundos Imobiliários e Fundos Off Shore não fazem parte da amostra.

– A data de corte considerada é sempre o último dia calendário de cada mês. Para o mês de setembro, foram tomados os últimos dados disponíveis no mês de todos os fundos; entre os dias 25 e 30.

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.