Estes são os 10 carros mais roubados em São Paulo

Levantamento da Ituran com 250 mil veículos mostra também o dia e horário preferidos dos criminosos e os modelos mais visados

São Paulo – O Fiat Palio foi o modelo mais visado pelos ladrões na grande São Paulo no primeiro semestre de 2016, segundo um levantamento realizado pela Ituran, empresa especializada no monitoramento de veículos.

Foram analisados dados de 250 mil veículos monitorados pela empresa. Depois do Palio, surgem VW Gol, Fiat Uno, Ford Fiesta, Fox, Celta, Voyage, Siena, Corsa e Fiat Strada. 

Os veículos de 2013 a 2010 representam a grande maioria dos modelos roubados e furtados entre janeiro e junho (45,52%), seguidos pelos modelos 2017-2014 (22,31%), 2009-2006 (19,76%), 2005-2002 (6,71%), 2001-1998 (3,26%) e anteriores a 1998 (2,43%).

O levantamento indicou ainda que a zona Leste concentra o maior número de ocorrências, sendo que São Matheus surge no topo do ranking de bairros com mais registros de roubos e furtos.

Itaquera, Guaianazes, Tatuapé, Itaim Paulista, Vila Prudente, Penha, Ipiranga (zona Sul), Mooca e Parque São Rafael aparecem nas posições seguintes.

No ranking das vias mais perigosas, a Avenida Sapopemba lidera as estatísticas. Nas posições seguintes aparecem Avenida Jacu Pêssego, Avenida Ragueb Chohfi, Avenida Aricanduva, Avenida Cupecê, Avenida Itaquera, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Avenida Marechal Tito, Avenida Nordestina e Avenida São Miguel.

O dia preferido dos criminosos para agir é a quarta-feira (17,11%), seguido por quinta-feira (16,10%), terça-feira (15,20%), sexta (14,58%), sábado (12,32%) e domingo (12,28%).

Quando o assunto é cor dos veículos, prata está na preferência com 26,46%, seguida de preta (25,63%), branca (19,17%), cinza (11,09%), vermelha (11%) e outros (6,65%).

O período da noite (das 18h às 23h) é o mais perigoso de todos, com 40,11% dos casos registrados, seguido pelos períodos da tarde, de 12h às 17h, com 29,86%, manhã (das 6h às 11h), com 20,37%, e madrugada, da 0h às 5h (9,66%).

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.