Bradesco amplia carência para pagamento de prestações em mais 60 dias

Como antecipado por EXAME, banco disponibiliza, a partir de hoje, novos prazos. Para créditos novos, são até 6 anos para pagamento da dívida

A partir de hoje, clientes do Bradesco – pessoas físicas e jurídicas – que já prorrogaram a carência de suas dívidas poderão pedir uma extensão do prazo por mais 60 dias. Quem tem interesse em pausar o financiamento e ainda não fez a solicitação conta com uma carência de até 120 dias e um prazo de seis anos para quitar o empréstimo. Já para dívidas novas, o banco prorrogou a carência para até 90 dias e os mesmos seis anos para pagar, como antecipado pela EXAME.

Fazem parte dessa iniciativa as linhas de crédito pessoal, CDC Veículos, crédito parcelado, crédito imobiliário e cheque especial para clientes pessoas físicas, e linhas de capital de giro, para pessoas jurídicas. A iniciativa do banco tem como objetivo ajudar as empresas a enfrentar a turbulência econômica causada pela pandemia do novo coronavírus.

Além da prorrogação das operações, o Bradesco disponibilizou um limite pré-aprovado para folha de pagamento no montante de 2,4 bilhões de reais para cerca de 95.000 empresas com receita menor que 360 mil reais e maior que 10 milhões de reais. Segundo Leandro Diniz, diretor de empréstimos e financiamentos do Bradesco, em conversa com jornalistas nesta terça-feira, 19, são companhias que hoje já têm relacionamento com o banco, mas não fazem os pagamentos dos seus funcionários por meio da instituição.

Para essa linha, o banco oferece seis meses de carência para o pagamento da primeira parcela e taxas diferenciadas, a partir de 0,65% ao mês, conforme perfil de risco e relacionamento dos clientes. “Estamos acompanhando a possibilidade do governo ampliar o programa de financiamento de empresas que conta com recursos do Tesouro Nacional e dos bancos privados, mas para isso é necessária uma mudança na legislação”, explica.

Até o momento, o Bradesco já financiou – com ajuda do Tesouro Nacional – 25.000 empresas que tomaram 430 milhões de reais emprestados. Nessa linha, os juros cobrados são de 3,75% ao ano.

Para outras linhas de financiamento da carteira pessoa jurídica, o total de crédito pré-aprovado é de 27 bilhões de reais. Ao todo, o crédito pré-aprovado para pessoas físicas e jurídicas soma 100 bilhões.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.