BB reformula e amplia programa de remuneração variável para funcionários

O sistema, que entra em vigor no segundo semestre, atingirá cerca de 40% dos cerca de 94 mil empregados, em vez dos 30% atuais

O Banco do Brasil anunciou nesta segunda-feira que seu programa de remuneração variável por desempenho foi reformulado e o benefício será estendido para um grupo maior de funcionários.

O novo programa, que entra em vigor no segundo semestre, atingirá cerca de 40% dos cerca de 94 mil empregados, em vez dos 30% atuais. O valor empenhado no projeto vai mais do que dobrar, para aproximadamente 450 milhões de reais por ano, informou o banco.

Ao mesmo tempo em que amplia o grupo elegível para remuneração variável, o BB também diminuirá a remuneração fixa nos cargos comissionados para quem assumir essas posições a partir de agora. Na prática, quem for promovido poderá ter um aumento menor de salário. Segundo uma fonte familiarizada com o banco, a mudança trará ao longo dos anos uma redução média de cerca de 10% nas despesas com remuneração fixa.

Nesse sentido, os funcionários que já ocupam funções de confiança ou gratificadas não terão sua remuneração alterada. “Os efeitos na estrutura de custos da organização vão se materializar ao longo dos próximos anos”, afirmou o BB em comunicado ao mercado.

A premiação, que antes era restrita aos funcionários das redes de atendimento terá o público-alvo estendido para praticamente todos os funcionários do BB. Haverá ainda aumento dos valores das premiações.

O movimento acontece em meio aos esforços do presidente-executivo do BB, Rubem Novaes, de reduzir o engessamento da política de remuneração de empregados do banco e alinhá-la com as práticas dos rivais privados, à medida que o setor financeiro é cada vez mais desafiado por fintechs, com estruturas de custos muito mais leves.

Suporte a Exame, por favor desabilite seu Adblock.