As ações mais indicadas para agosto, segundo 16 corretoras

Líder é uma gigante da mineração, enquanto o segundo e o terceiro lugares foram divididos por quatro companhias. Veja lista completa
 (eskaylim/Thinkstock)
(eskaylim/Thinkstock)
Por Anderson Figo, Marília AlmeidaPublicado em 02/08/2018 05:00 | Última atualização em 02/08/2018 05:00Tempo de Leitura: 8 min de leitura

São Paulo — As ações ordinárias da Vale (VALE3) lideraram o ranking das recomendações de bancos e corretoras para agosto. Elas foram citadas em nove das 16 carteiras recebidas pelo site EXAME neste mês.

Na segunda colocação, houve empate entre as ações preferenciais da Petrobras (PETR4) e os papéis da produtora de celulose Suzano (SUZB3). Ambos receberam oito indicações cada um. O terceiro lugar também ficou dividido: a B3 (B3SA3) e o Itaú Unibanco (ITUB4) foram citados sete vezes cada um.

Em julho, a carteira com melhor desempenho foi a da corretora Spinelli, que registrou valorização de 16,9%, enquanto o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, subiu 8,8% no período.

Do outro lado, a lista de recomendações da corretora Socopa foi a que menos brilhou no mês passado, com uma alta de 2,9%. Todos os 16 portfólios recebidos em julho tiveram desempenho positivo. Confira as performances abaixo.

Desempenho das carteiras em julho

Instituição Desempenho em julho (em %) Desempenho em 2018 (em %)
Spinelli 16,9 18,93
Rico 12,09 2,5
Nova Futura 11,53 26,91
Elite 11,05 17,92
Quantitas 10,7 -2,32
Coinvalores 9,6 9,5
Walpires 9,57 12,53
Terra Investimentos 9,39 23,4
Ativa 8,4 2,2
Genial Investimentos 7,11 7,97
BB Investimentos 7,1 2
Bradesco 6,8 7,8
Planner 4,08 3,44
Magliano 4,04 -3,33
Guide 3,73 6,56
Socopa 2,9 6,91

As ações mais indicadas para agosto

As recomendações para a Vale ressaltam positivamente a estratégia de produzir mais e a baixo custo, com a conclusão de projetos de
expansão (S11D). Segundo a corretora Rico, a visão otimista para a Vale reflete, entre outras coisas, sua consistência na entrega de resultados nos últimos trimestres.

"Acreditarmos que o preço do minério de ferro não irá recuar drasticamente dos preços atuais de US$60/tonelada e a elevada qualidade do seu minério de ferro propicia à empresa capturar margens e rentabilidade elevadas em suas operações", avaliou a Rico em relatório.

"Esperamos ainda um cenário positivo para os fundamentos da empresa no médio/longo-prazo. E, com os resultados surpreendendo positivamente, acreditamos que a companhia vai acelerar o pagamento de dividendos", completou a corretora.

Já a Petrobras continua sendo uma das ações mais indicadas porque, no geral, as avaliações dos bancos e corretoras é de que a companhia não terá prejuízo financeiro mesmo se houver uma pequena alteração em sua política de preços.

"Vemos com grande preocupação o risco político entorno da companhia nos últimos meses, porém até o momento o governo e a diretoria da Petrobras mostraram que a política de preços continua inalterada", disse a equipe de análise da Spinelli Corretora em relatório.

"Apesar de algumas passíveis mudanças visando atender o clamor da classe dos caminhoneiros e a sociedade, como por exemplo, alteração do
reajuste diário para mensal (Diesel), não caberá prejuízo financeiro a Petrobras, visto que o governo ressarcirá perdas temporais", completou.

Além disso, a Spinelli ressaltou que há um cenário favorável para a continuidade de valorização no preço do petróleo, o que impacta positivamente os resultados da companhia.

Sobre a Suzano, os analistas da Bradesco Corretora disseram que o acordo com a Fibria para criar uma gigante no setor deve ser concluído no primeiro trimestre de 2019, sem nenhum remédio significativo imposto pelas autoridades antitruste.

As sinergias, incluindo tributárias, podem chegar a R$ 15 bilhões, segundo as projeções da corretora. Além disso, o processo de desalavancagem da Suzano deve acelerar nos próximos anos, com a dívida líquida caindo de R$ 45 bilhões em 2018 (2,9x a relação dívida líquida/Ebitda) para R$ 36 bilhões em 2019 (2,0x).

"Dito isso, acreditamos que, até meados de 2019, a Suzano estará pronta para: começar a pagar mais dividendos; e anunciar seus próximos projetos de crescimento, muito provavelmente a expansão Horizonte III. No curto prazo, a dinâmica de lucros deve ser forte, impulsionada por preços de celulose saudáveis, o real mais fraco e custos controlados", avaliaram os analistas em relatório.

Veja as ações recomendadas para agosto

Ação Recomendações
Vale (VALE3) 9
Petrobras (PETR4) 8
Suzano (SUZB3) 8
B3 (B3SA3) 7
Itaú Unibanco (ITUB4) 7
Gerdau (GGBR4) 6
Via Varejo (VVAR11) 5
Itaúsa (ITSA4) 4
Rumo (RAIL3) 4
B2W (BTOW3) 3
Banco do Brasil (BBAS3) 3
Cemig (CMIG4) 3
Equatorial (EQTL3) 3
Fibria (FIBR3) 3
Lojas Renner (LREN3) 3
Magazine Luiza (MGLU3) 3
MRV (MRVE3) 3
Natura (NATU3) 3
Pão de Açúcar (PCAR4) 3
Weg (WEGE3) 3
BB Seguridade (BBSE3) 2
Bradesco (BBDC4) 2
Cosan (CSAN3) 2
Duratex (DTEX3) 2
Ecorodovias (ECOR3) 2
Energias do Brasil (ENBR3) 2
Grendene (GRND3) 2
Guararapes (GUAR3) 2
Hypermarcas (HYPE3) 2
IRB Brasil Resseguros (IRBR3) 2
Klabin (KLBN11) 2
Randon (RAPT4) 2
Taesa (TAEE11) 2
Telefônica Brasil (VIVT4) 2
Tenda (TEND3) 2
Transmissão Paulista (TRPL4) 2
Tupy (TUPY3) 2
Ambev (ABEV3) 1
Ânima Educação (ANIM3) 1
Arezzo (ARZZ3) 1
Azul (AZUL4) 1
BR Malls (BRML3) 1
Bradespar (BRAP4) 1
Braskem (BRKM5) 1
Carrefour (CRFB3) 1
CCR (CCRO3) 1
Cesp (CESP6) 1
Comgás (CGAS5) 1
Copasa (CSMG3) 1
Copel (CPLE6) 1
Cyrela (CYRE3) 1
Engie Brasil (EGIE3) 1
Ferbasa (FESA4) 1
Iguatemi (IGTA3) 1
Kroton (KROT3) 1
Locamerica (LCAM3) 1
Lojas Americanas (LAME4) 1
M. Dias Branco (MDIA3) 1
Metalúrgica Gerdau (GOAU4) 1
Multiplan (MULT3) 1
Panvel (PNVL3) 1
Porto Seguro (PSSA3) 1
Raia Drogasil (RADL3) 1
Sabesp (SBSP3) 1
SLC Agrícola (SLCE3) 1
Smiles (SMLE3) 1
TIM (TIMP3) 1
Totvs (TOTS3) 1
Trisul (TRIS3) 1
Valid (VLID3) 1

Carteiras Recomendadas

Veja abaixo as carteiras recomendadas por 16 corretoras para agosto. Elas estão organizadas por ordem alfabética. Os portfólios da XP Investimentos e da Lerosa Investimentos foram retirados do ranking do site EXAME porque eles sofreram alterações em sua metodologia e, portanto, os desempenhos acumulados no ano ficaram comprometidos.

Ativa

Desempenho em julho: 8,4%
Desempenho em 2018: 2,2%
Ação retirada: Ultrapar.
Ação incluída: Nenhuma.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
B2W (BTOW3) Não disponível 15
Equatorial (EQTL3) Não disponível 15
Gerdau (GGBR4) Não disponível 15
Itaú Unibanco (ITUB4) Não disponível 10
Klabin (KLBN11) Não disponível 10
Natura (NATU3) Não disponível 10
Petrobras (PETR4) Não disponível 10
Raia Drogasil (RADL3) Não disponível 15

BB Investimentos

Desempenho em julho: 7,1%
Desempenho em 2018: 2%
Ação incluída: MRV.
Ação retirada: IRB Brasil Resseguros.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
BR Malls (BRML3) Não disponível 10
B2W (BTOW3) Não disponível 10
Itaú Unibanco (ITUB4) Não disponível 10
Lojas Renner (LREN3) Não disponível 10
MRV (MRVE3) Não disponível 10
Pão de Açúcar (PCAR4) Não disponível 10
Suzano (SUZB3) Não disponível 10
Taesa (TAEE11) Não disponível 10
Tupy (TUPY3) Não disponível 10
Vale (VALE3) Não disponível 10

Bradesco

Desempenho em julho: 6,8%
Desempenho em 2018: 7,8%
Ações incluídas: Gerdau e Duratex.
Ações retiradas: Vale e CVC.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
Banco do Brasil (BBAS3) 47,00 10
B3 (B3SA3) 29,00 10
Copasa (CSMG3) 60,00 10
Duratex (DTEX3) 12,00 10
Gerdau (GGBR4) 23,00 10
Itaú Unibanco (ITUB4) 49,00 10
Lojas Renner (LREN3) 39,00 10
MRV (MRVE3) 19,00 10
Rumo (RAIL3) 18,00 10
Suzano (SUZB3) 72,00 10

Coinvalores

Desempenho em julho: 9,6%
Desempenho em 2018: 9,5%
Ação incluída: Suzano.
Ação retirada: Klabin.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
Azul (AZUL4) Não disponível 6
B3 (B3SA3) Não disponível 6
CCR (CCRO3) Não disponível 6
Cosan (CSAN3) Não disponível 6
Gerdau (GGBR4) Não disponível 6
Itaú Unibanco (ITUB4) Não disponível 14
Kroton (KROT3) Não disponível 6
Magazine Luiza (MGLU3) Não disponível 6
Petrobras (PETR4) Não disponível 6
Rumo (RAIL3) Não disponível 6
Suzano (SUZB3) Não disponível 6
Telefônica Brasil (VIVT4) Não disponível 6
Trisul (TRIS3) Não disponível 6
Tupy (TUPY3) Não disponível 6
Vale (VALE3) Não disponível 8

Elite

Desempenho em julho: 11,05%
Desempenho em 2018: 17,92%
Não houve alterações na carteira.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
B3 (B3SA3) Não disponível 10
Equatorial (EQTL3) Não disponível 10
Itaúsa (ITSA4) Não disponível 10
IRB Brasil Resseguros (IRBR3) Não disponível 10
Klabin (KLBN11) Não disponível 10
Locamerica (LCAM3) Não disponível 10
Magazine Luiza (MGLU3) Não disponível 10
MRV (MRVE3) Não disponível 10
Petrobras (PETR4) Não disponível 10
Vale (VALE3) Não disponível 10

Genial Investimentos

Desempenho em julho: 7,11%
Desempenho em 2018: 7,97%
Ações incluídas: Fibria, Via Varejo, TIM, Weg e Iguatemi.
Ações retiradas: Energias do Brasil, Tupy, Copasa, Cemig e Vale.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
Ânima Educação (ANIM3) Não disponível 10
Fibria (FIBR3) Não disponível 10
Iguatemi (IGTA3) Não disponível 10
Pão de Açúcar (PCAR4) Não disponível 10
Randon (RAPT4) Não disponível 10
Tenda (TEND3) Não disponível 10
TIM (TIMP3) Não disponível 10
Totvs (TOTS3) Não disponível 10
Via Varejo (VVAR11) Não disponível 10
Weg (WEGE3) Não disponível 10

Guide

Desempenho em julho: 3,73%
Desempenho em 2018: 6,56%
Ações incluídas: B2W, Cemig, Petrobras, Rumo e Via Varejo.
Ações retiradas: Braskem, Embraer, Hapvida, Lojas Renner e Pão de Açúcar.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
B2W (BTOW3) Não disponível 10
B3 (B3SA3) Não disponível 10
Cemig (CMIG4) Não disponível 10
Cesp (CESP6) Não disponível 10
IRB Brasil Resseguros (IRBR3) Não disponível 10
Petrobras (PETR4) Não disponível 10
Rumo (RAIL3) Não disponível 10
Suzano (SUZB3) Não disponível 10
Tenda (TEND3) Não disponível 10
Via Varejo (VVAR11) Não disponível 10

Magliano

Desempenho em julho: 4,04%
Desempenho em 2018: -3,33%
Ações incluídas: Carrefour, Ecorodovias, Energias do Brasil e Taesa.
Ações retiradas: Cielo, Pão de Açúcar, Sabesp e Ultrapar.

Ação Preço justo, em R$ Peso, em %
BB Seguridade (BBSE3) 34,40 10
Bradesco (BBDC4) 36,60 10
Carrefour (CRFB3) 18,50 10
Cemig (CMIG4) 10,15 10
Ecorodovias (ECOR3) 11,50 10
Energias do Brasil (ENBR3) 16,70 10
Itaúsa (ITSA4) 12,20 10
Suzano (SUZB3) 55,00 10
Taesa (TAEE11) 24,00 10
Vale (VALE3) 63,10 10

Nova Futura

Desempenho em julho: 11,53%
Desempenho em 2018: 26,91%
Ações incluídas: Bradesco, SLC Agrícola e Via Varejo.
Ações retiradas: Ambev, Queiroz Galvão e Santander.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
Bradesco (BBDC4) Não disponível 10
Engie Brasil (EGIE3) Não disponível 10
Itaú Unibanco (ITUB4) Não disponível 10
Magazine Luiza (MGLU3) Não disponível 5
Natura (NATU3) Não disponível 5
Petrobras (PETR4) Não disponível 10
Porto Seguro (PSSA3) Não disponível 10
SLC Agrícola (SLCE3) Não disponível 5
Suzano (SUZB3) Não disponível 10
Vale (VALE3) Não disponível 10
Via Varejo (VVAR11) Não disponível 5
Weg (WEGE3) Não disponível 10

Planner

Desempenho em julho: 4,08%
Desempenho em 2018: 3,44%
Ações incluídas: BB Seguridade, Lojas Renner, M. Dias Branco, Suzano, Telefênica Brasil e Via Varejo.
Ações retiradas: Bradesco, Klabin, Petrobras, Raia Drogasil, São Martinho e Ultrapar.

Ação Preço justo, em R$ Peso, em %
Arezzo (ARZZ3) 49,00 10
BB Seguridade (BBSE3) 37,00 10
Energias do Brasil (ENBR3) 17,00 10
Ferbasa (FESA4) 23,80 10
Grendene (GRND3) 9,83 10
Lojas Renner (LREN3) 34,00 10
M. Dias Branco (MDIA3) 56,00 10
Suzano (SUZB3) 51,00 10
Telefônica Brasil (VIVT4) 46,00 10
Via Varejo (VVAR11) 25,00 10

Quantitas

Desempenho em julho: 10,7%
Desempenho em 2018: -2,32%
Ação incluída: Hypermarcas.
Ação retirada: B3.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
Banco do Brasil (BBAS3) Não disponível 10
Bradespar (BRAP4) Não disponível 2,5
Braskem (BRKM5) Não disponível 5
Duratex (DTEX3) Não disponível 5
Grendene (GRND3) Não disponível 12,5
Guararapes (GUAR3) Não disponível 10
Hypermarcas (HYPE3) Não disponível 7,5
Itaúsa (ITSA4) Não disponível 12,5
Metalúrgica Gerdau (GOAU4) Não disponível 7,5
Multiplan (MULT3) Não disponível 5
Panvel (PNVL3) Não disponível 2,5
Randon (RAPT4) Não disponível 10
Vale (VALE3) Não disponível 10

Rico

Desempenho em julho: 12,09%
Desempenho em 2018: 2,5%
Ações incluídas: B3, Fibria e Gerdau.
Ações retiradas: BRF, Suzano e Usiminas.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
B3 (B3SA3) Não disponível 12,5
Fibria (FIBR3) Não disponível 12,5
Gerdau (GGBR4) Não disponível 12,5
Itaú Unibanco (ITUB4) Não disponível 12,5
Lojas Americanas (LAME4) Não disponível 12,5
Rumo (RAIL3) Não disponível 12,5
Vale (VALE3) Não disponível 12,5
Via Varejo (VVAR11) Não disponível 12,5

Socopa

Desempenho em julho: 2,90%
Desempenho em 2018: 6,91%
Ação incluída: Guararapes.
Ação retirada: Grendene.

Ações Preço-alvo, em R$ Peso, em %
Ambev (ABEV3) Não disponível 20%
Equatorial (EQTL3) Não disponível 20%
Guararapes (GUAR3) Não disponível 20%
Hypermarcas (HYPE3) Não disponível 20%
Suzano (SUZB3) Não disponível 20%

Spinelli

Desempenho em julho: 16,9%
Desempenho em 2018: 18,93%
Ações incluídas: Copel e Smiles.
Ações retiradas: BRF e Eletrobras.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
B3 (B3SA3) Não disponível 10
Copel (CPLE6) Não disponível 10
Ecorodovias (ECOR3) Não disponível 10
Gerdau (GGBR4) Não disponível 10
Itaúsa (ITSA4) Não disponível 10
Petrobras (PETR4) Não disponível 10
Smiles (SMLE3) Não disponível 10
Transmissão Paulista (TRPL4) Não disponível 10
Vale (VALE3) Não disponível 10
Weg (WEGE3) Não disponível 10

Terra Investimentos

Desempenho em julho: 9,39%
Desempenho em 2018: 23,4%
Ação retirada: Telefônica Brasil.
Ação incluída: Cosan.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
Banco do Brasil (BBAS3) 40 20
Cemig (CMIG4) 11 20
Cosan (CSAN3) 44,5 10
Natura (NATU3) 40 10
Petrobras (PETR4) 30 20
Sabesp (SBSP3) 35 10
Valid (VLID3) 25 10

Walpires

Desempenho em julho: 9,57%
Desempenho em 2018: 12,53%
Ação incluída: Transmissão Paulista.
Ação retirada: Ambev.

Ação Preço-alvo, em R$ Peso, em %
B3 (B3SA3) Não disponível 10
Comgás (CGAS5) Não disponível 10
Cyrela (CYRE3) Não disponível 10
Fibria (FIBR3) Não disponível 10
Gerdau (GGBR4) Não disponível 10
Itaú Unibanco (ITUB4) Não disponível 10
Pão de Açúcar (PCAR4) Não disponível 10
Petrobras (PETR4) Não disponível 10
Transmissão Paulista (TRPL4) Não disponível 10
Vale (VALE3) Não disponível 10