16 corretoras indicam as melhores ações para outubro

Depois do Ibovespa sofrer o maior tombo do ano em setembro, analistas recomendam cautela e apostam em ações mais defensivas

São Paulo – O corte da Selic no último dia de agosto prometia abrir espaço para uma reação da bolsa em setembro. Arrefecidos os ânimos, a volatilidade voltou a tomar conta do mercado. As incertezas são as mesmas de antes: fraca recuperação da economia norte-americana e impasse fiscal na zona do Euro. Mas o Ibovespa sucumbiu ao pessimismo e terminou o mês com uma queda de 7,38%, a mais drástica do ano.

Apesar de bem recebido, o plano de 440 bilhões de dólares do governo dos EUA para estimular a criação de empregos não conseguiu mudar o panorama de aversão ao risco. Por sua vez, as autoridades europeias aumentaram as tensões no mercado ao transmitirem mensagens contraditórias sobre o possível calote grego. No mercado doméstico, a pressão inflacionária continua sendo a maior preocupação. Ainda assim, grande parte dos analistas acredita que muitos papéis brasileiros permanecem com fundamentos sólidos – e com preços cada vez mais baratos.

Entre as campeões de recomendações estão as ações da Vale (presente em 10 carteiras), Telesp (8), BR Foods (7), AES Tietê (6), Petrobras (6) e Itaú Unibanco (6).

Confira a seguir as melhores ações indicadas por 16 corretoras para outubro:

A volatilidade não deve dar trégua em outubro. Esta é a visão da equipe de analistas do BB Investimentos, que espera, contudo, um último trimestre mais positivo para a renda variável, puxado pelas festas de fim de ano – e as consequentes vendas no varejo. A carteira foi praticamente toda alterada. Saíram os papéis da BM&FBovespa, Eztec, Gol, Marfrig, OGX, PDG Realty, Petrobras e Vale. De setembro para cá, permaneceram apenas Telesp e Magazine Luiza, que ganharam a companhia das ações da AES Tietê, Brasil Foods, CCR Rodovias, Cesp, Cielo, Drogasil, Tractebel e TIM.
table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

Empresa Código Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
AES Tietê GETI4 ND
BR Foods BRFS3 ND
CCR Rodovias CCRO3 ND
Cesp CESP6 ND
Cielo CIEL3 ND
Drogasil DROG3 ND
Magazine Luiza MGLU3 ND
Telesp TLPP4 ND
TIM TIMM3 ND
Tractebel TBLE3 ND

Se a ação da Vale tinha sido cortada na carteira de setembro do Bradesco BBI, desta vez a exposição a commodities volta a ter vez com a entrada da Petrobras entre as preferidas do time de analistas. Foram retirados os papéis da Anhanguera, JSL e Lupatech. Por sua vez, Fleury e BR Malls completaram o time de estreantes em outubro.

Empresa Ação Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
Alpargatas ALPA4 17,60
Banco do Brasil BBSA3 33,00
BR Malls BRML3 23,50
Cemig CMIG4 36,20
Cetip CTIP3 34,50
Cielo CIEL3 57,60
Drogasil DROG3 19,50
Fleury FLRY3 30,60
Petrobras PETR4 26,00
Telesp TLPP4 53,00

O BTG Pactual sublinha que uma solução para a crise na zona do Euro seria o gatilho para o mercado se endireitar. No entanto, nenhuma mudança drástica deve ser anunciada no curto prazo. Como as expectativas de inflação do Banco Central soam cada vez mais dissonantes diante das análises feitas pelo mercado, o BTG recomenda inclusive que os investidores estrangeiros se afastem das ações brasileiras enquanto o ambiente macroeconômico não se tornar mais claro. Para o portfólio de outubro, a pedida são as ações defensivas e voltadas à economia doméstica, com proteção à inflação (CCR Rodovias) e possibilidade de ganhar com um real mais fraco (BR Foods e Multiplus). Também entraram na carteira os papéis da Hering, Telesp e Cetip. Saíram as ações da BM&FBovespa, Itaú Unibanco, Localiza, Magazine Luiza, MPX e MRV.

Empresa Ação Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
BR Foods BRFS3 37,00
Bradesco BBDC4 40,00
CCR Rodovias CCRO3 57,00
Cetip CTIP3 29,00
Hering HGTX3 42,00
Lojas Americanas LAME4 19,00
PDG Realty PDGR3 10,00
Vale VALE3 US$38,00
Vivo TLPP4 60,00

Para o Credit Suisse, as ações ligadas ao consumo cíclico doméstico podem perder terreno com a deterioração das expectativas inflacionárias e ganhos sujeitos a revisões. O banco é outro a apostar em um portfólio mais defensivo, ainda que sua carteira recomendada permaneça bastante diversificada, com nada menos que 23 papéis.

Empresa Código Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
Ambev AMBV4 60,00
Amil AML3 26,00
Banco do Brasil BBAS3 37,00
BR Foods BRFS3 38,50
BR Malls BRML3 25,00
Bradesco BBDC4 39,00
Braskem BRKM5 28,00
Cemig CMIG4 35,00
Cetip CTIP3 32,00
Cosan CSAN3 34,00
Ecorodovias ECOR3 17,00
Embraer ERJ US$37,00
Gerdau GGBR4 27,00
HRT HRTP3 2.100,00
Iochpe Maxion MYPK3 29,00
Lojas Americanas LAME4 20,00
MMX MMXM3 13,20
PDG Realty PDGR3 11,50
Petrobras PBR US$38,00
Redecard RDCD3 30,00
Santos Brasil STBP11 37,00
Telesp TLPP4 59,00
Vale VALE US$47,00

Na carteira da Geração Futuro, 15 papéis fazem parte da seleção para outubro. De commodities a bancos, passando por papéis defensivos e voltados ao consumo interno, o portfólio da corretora também prioriza a diversificação.
table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

Empresa Ação Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Banco do Brasil BBAS3 ND
Cemig CMIG4 ND
Petrobras PETR4 ND
OGX OGXP3 ND
Vale VALE5 ND
Randon RAPT4 ND
Ultrapar UGPA3 ND
Guararapes GUAR3 ND
Lojas Renner LREN3 ND
AES Tietê GETI4 ND
Energias do Brasil ENBR3 ND
Marcopolo POMO4 ND
CSN CSNA3 ND
Metalúrgica Gerdau GOAU4 ND


Para este mês, a equipe do HSBC passou a considerar o hedge às variações de câmbio na montagem da carteira recomendada. Proteção contra a inflação e boa distribuição de dividendos permanecem entre os atributos buscados pelos analistas. No portfólio indicado, saíram os papéis da Brasil Brokers e Petrobras e entraram as ações da Multiplan e Tractebel.
table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

Empresa Código Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
AES Tietê GETI4 ND
BR Foods BRFS3 ND
Hering HGTX3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Multiplan MULT3 ND
Odontoprev ODPV3 ND
Redecard RDCD3 ND
São Martinho SMTO3 ND
Tractebel TBLE3 ND
Vale VALE5 ND

As ações da TIM e Marcopolo foram substituídas pelos papéis da OHL Brasil e Marcopolo na carteira recomendada pela Geral Investimentos para outubro. O restante da lista replica a estratégia adotada em setembro, mantendo papéis defensivos e tradicionais pagadores de dividendos, como AES Tietê, Telesp, Tractebel e Cemig.
table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

Empresa Ação Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
AES Tietê GETI3 ND
Ambev AMBV4 ND
BR Malls BRML3 ND
Cemig CMIG4 ND
Eztec EZTC3 ND
JHSF JHSF3 ND
Marcopolo POMO4 ND
OHL Brasil OHLB3 ND
Telesp TLPP4 ND
Tractebel TBLE3 ND

A Gradual Investimentos reforça que o ambiente de aversão ao risco afugenta os investidores estrangeiros da bolsa, o que explica a saída de mais de 1 bilhão de reais do mercado nos últimos 60 dias. E o cenário não deve melhorar tão cedo, com a safra de balanços do terceiro semestre sendo ofuscada pelas tentativas de debelar a crise econômica nos países desenvolvidos. Para outubro, uma maior alocação em telecom e energia são as apostas da corretora. No lugar dos papéis da Petrobras, Brookfield e ABC Brasil entraram as ações da Cemig, AES Tietê e Telesp.

Empresa Código Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
AES Tietê GETI4 30,00
Brasil Telecom BRTO4 15,10
Cemig CMIG4 36,40
Eternit ETER3 12,80
Eucatex EUCA4 9,60
Itaúsa ITSA4 14,80
Multiplus MPLU3 37,60
Saraiva SLED4 45,40
Telesp TLPP4 65,00
Valid VLID3 25,30


O Merrill Lynch acredita que a Selic sofrerá outros três cortes de meio ponto, chegando a 10,5% no primeiro trimestre de 2012. De olho neste horizonte, os analistas optaram por aumentar a exposição ao consumo doméstico. No setor defensivo, as ações de telecom dão vez aos papéis de empresas que realizam a concessão de serviços públicos. E com revisões cada vez mais pessimistas para o crescimento do PIB no mundo, as commodities perdem peso no portfólio de outubro. As mudanças ficaram por conta da saída da Copel e entrada da TIM.
table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

Empresa Ação Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
Ambev AMBV4 ND
Anhanguera AEDU3 ND
BR Malls BRML3 ND
Bradesco BBDC4 ND
CCR Rodovias CCRO3 ND
CSN CSNA3 ND
Iochpe Maxion MYPK3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Localiza RENT3 ND
Lojas Renner LREN3 ND
PDG Realty PDGR3 ND
Petrobras PETR4 ND
TIM TIMP3 ND
Vale VALE5 ND

O posicionamento defensivo também foi adotado pela PAX Corretora, que turbinou a carteira recomendada com papéis de concessionárias públicas: Cemig, Copasa, Celesc e Tractebel. A aposta no setor de bancos e serviços financeiros chega com as ações do Itaú Unibanco, Cielo e Bradespar.
table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

Empresa Ação Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
Ambev AMBV4 ND
BR Foods BRFS3 ND
Bradespar BRAP4 ND
Celesc CLSC6 ND
Cielo CIEL3 ND
Cemig CMIG4 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Telesp TLPP4 ND
Tractebel TBLE3 ND


Na visão da Planner, outubro será um mês de mais desafios: se uma solução para a crise na Europa não for tomada, as bolsas do mundo todo poderão desabar ainda mais com novos adiamentos. Diante de um cenário turvo, a equipe de analistas optou por uma carteira com perfil mais defensivo, formada por ações já descontadas. O intuito é ganhar com o potencial de sustentação dos papéis mesmo em uma situação de baixa no mercado. Entraram as ações da Telesp, OGX, Banrisul, Fleury e Hering. Despediram-se do portfólio os papéis da Queiroz Galvão, Banco do Brasil, Paraná Banco, Hypermarcas e Cesp.
table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

Empresa Ação Preço-alvo em 12 meses
AES Tietê GETI4 27,90
Banrisul BRSR5 23,30
Duratex DTEX3 17,50
Eztec EZTC3 20,00
Fleury FLRY3 28,00
Hering HGTX3 43,00
M. Diasbranco MDIA3 52,15
Multiplan MULT3 40,00
OGX OGXP3 24,00
Petrobras PETR4 30,20
Telesp TLPP4 54,00
Vale VALE5 55,00


A política eleita pela Rico para o mês de outubro não foge à regra: ações mais defensivas ou que possuem um perfil menos sensível ao cenário externo. Para os analistas, os desdobramentos da crise na zona do Euro continuarão impactando negativamente os mercados em geral. Desta vez, a ação da JHSF dá lugar ao papel da Localiza, empresa com “ritmo de negócios atrelado ao crescimento do PIB e à migração da população para as classes mais altas”.
table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

Empresa Ação Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
Ambev AMBV4 ND
Banco do Brasil BBAS3 ND
Cetip CTIP3 ND
Eztec EZTC3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Localiza RENT3 ND
Redecard RDCD3 ND
Vale VALE5 ND

A Socopa alerta que a semana já começa com a Grécia novamente pesando sobre os mercados. Para outubro, a corretora optou por retirar as ações da Randon, PDG Realty e Banco do Brasil da carteira recomendada. Em seu lugar, entraram os papéis da Petrobras, Ecorodovias e Copel.
table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

Empresa Ação Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
Copel CPLE6 ND
Ecorodovias ECOR3 ND
Lojas Americanas LAME4 20,50
Petrobras PETR4 34,00
Vale VALE5 66,00


Os papéis da Tractebel e São Martinho foram mantidos na carteira de outubro da Souza Barros. As alterações no portfólio ficaram por conta da saída das ações do Banco do Brasil, BM&FBovespa e Petrobras, dando lugar aos papéis do Pão de Açúcar, M. Diasbranco e Vale. Em suma, a exposição a commodities continua, mas a aposta nos bancos é trocada pelo varejo.
table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

Empresa Código Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
M. Diasbranco MDIA3 49,00
Pão de Açúcar PCAR4 78,20
São Martinho SMTO3 32,00
Tractebel TBLE3 29,50
Vale VALE5 63,50


Entre os papéis defensivos escolhidos pela Spinelli para outubro estão os papéis da Ecorodovias e Telesp. A aposta no consumo doméstico vem com a indicação de empresas como Abril Educação e BR Foods. Cosan e OGX respondem pela fatia do portfólio destinada às commodities.
table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

Empresa Ação Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
Abril Educação ABRE11 ND
DrogaRaia RAIA3 ND
Tecnisa TCSA3 ND
Cosan CSAN3 ND
OGX OGXP3 ND
Ecorodovias ECOR3 ND
Even EVEN3 ND
Telesp TLPP4 ND
BR Foods BRFS3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND

A XP Investimentos classifica o mês de outubro como desafiador, com a provável rolagem da dívida de países como Grécia, Portugal, Itália e Espanha. A recomendação é que os investidores tenham cautela e optem por empresas com operações mais resilientes. As ações das Lojas Renner, PDG Realty e Itaúsa saíram da carteira recomendada, dando espaço à BR Foods e Odontoprev.

Empresa Ação Preço-alvo para dez. de 2011 (R$)
BR Foods BRFS3 ND
CCR Rodovias CCRO3 ND
Gerdau Metalúrgica GOAU4 ND
Odontoprev ODPV3 ND
Randon RAPT4 ND
Ultrapar UGPA4 ND
UOL UOLL4 ND
Vale VALE3 ND
Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.