Nem Apple, nem Netflix: a pandemia pode ter um outro vencedor

Sucesso entre os adolescentes, a plataforma de games Roblox atrai cada vez mais jogadores e também desenvolvedores de jogos

Nem Amazon nem Netflix, muito menos Apple. Uma das empresas da indústria digital que mais registraram crescimento durante a pandemia de covid-19 foi uma plataforma de jogos online para celulares e computadores chamada Roblox, que tem entre um de seus títulos mais populares um game no qual o jogador foge de um porco assassino com um taco de beisebol. É provável que pessoas acima dos 20 anos não conheçam a plataforma, uma vez que o público-alvo do Roblox está na faixa dos 7 aos 20 anos, com força total nos adolescentes acima de 13 anos, que representam mais de 40% da audiência dos jogos. Mas abra o computador ou o celular de qualquer criança ou adolescente por aí e é bem provável que o aplicativo esteja instalado.

A Roblox foi lançada no Vale do Silício em 2006, mas demorou um tempo para cair no gosto das pes­soas. Foi em 2020, em plena pandemia, que ele colheu os frutos de anos de trabalho. Com boa parte da população em casa durante a quarentena, a plataforma chegou a 150 milhões de usuários ativos em julho. No total, eles passam cerca de 3 bilhões de horas dentro do app por mês.

A Roblox é um app no estilo “mundo aberto”, em que os jogadores criam um personagem e saem explorando o cenário virtual junto com outros jogadores. A grande façanha é que ele permite que qualquer desenvolvedor crie seus jogos e os publique na plataforma. E é aí que a Roblox acertou em cheio. Ao todo, cerca de 2 milhões de desenvolvedores estão trabalhando ativamente na plataforma. Os que se destacam são remunerados pela empresa. Hoje esse grupo já soma 345.000 desenvolvedores. As receitas da Roblox vêm dos itens virtuais que são vendidos dentro dos games e também da publicidade exibida no app.

O jogo do porco assassino citado anteriormente, chamado Piggy, é um dos games de maior sucesso. Ele foi lançado em janeiro e já acumula mais de 5 bilhões de visitas em pouco mais de oito meses. “Toda vez que um usuário entra no Roblox, ele consegue ver as novas versões atualizadas de nossas experiências nos jogos. O que é único em nossa plataforma é que não produzimos os games, mas alimentamos a imaginação de criadores jovens, oferecendo as ferramentas necessárias para isso”, diz Craig Donato, diretor de negócios da Roblox.

Um dos desenvolvedores é o brasileiro Caio Cabral, de 25 anos. Em meio à pandemia de covid-19, ele afirma ter encontrado na plataforma uma alternativa de sustento para ele e sua família. “Agora consigo comprar uma casa para que minha família deixe de pagar aluguel”, afirma Cabral. No ano passado, o Roblox pagou 110 milhões de dólares aos desenvolvedores. Com a explosão da audiência em 2020, o valor deve mais do que dobrar em 2020 e chegar à marca de 250 milhões de dólares.

 (Arte/Exame)

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também