Revista Exame
Acompanhe:

4 livros para ler nas férias e presentear entes queridos no fim do ano

Livros são os presentes mais democráticos, sejam biografias, sejam crônicas, sejam temas gerais. Selecionamos quatro títulos recém-lançados para presentear neste fim de ano

 (Reprodução/Reprodução)

(Reprodução/Reprodução)

J
Julia Storch

15 de dezembro de 2022, 06h00

Literatura

Aos Prantos no Mercado

A gastronomia como gesto de amor. Esse é o mote deste livro em que, por meio de pratos coreanos, o afeto é evocado pela protagonista. Ao atravessar o luto pela morte precoce da mãe, ela libera o pranto ao percorrer as prateleiras de um mercado em Nova York. Os escritos da cantora de rock independente Michelle Zauner foram originalmente publicadosna revista The New Yorker. Se ainda faltarem argumentos, o livro também entrou para a lista de melhores de 2021 de Barack Obama.

Aos Prantos no MercadoI Michelle Zauner I Editora Fósforo I 69,90 reais


(Reprodução/Reprodução)

Rainhas da Noite

Depois de lançar livros como Ricardo e Vânia: O Maquiador, a Garota de Programa, o Silicone e uma História de Amor (2019) e o podcast A Mulher da Casa Abandonada, o escritor Chico Felitti assina mais um trabalho biográfico. Aqui, ele reconstitui as histórias de Jacqueline Welch, Andréa de Mayo e Cristiane Jordan, personalidades do centro de São Paulo entre os anos 1970 e 2010 e essenciais para a visibilidade da comunidade LGBTQIA+.

Rainhas da Noite I Chico Felitti I Companhia das Letras I 64,90 reais


(Reprodução/Reprodução)

Flâneuse

Definido por Walter Benjamin partindo da obra de Baudelaire, o flâneur é um sujeito errante e observador típico da literatura europeia do século 19. Assim, flanando por Paris, Nova York, Tóquio, Veneza e Londres, a escritora americana Lauren Elkin mescla sua experiência pessoal com a de escritoras e artistas que a antecederam, como Jean Rhys, Virginia Woolf, Sophie Calle, Martha Gellhorn e George Sand, rememorando itinerários e pensamentos. Mais do que um relato, Elkin reivindica a ocupação dos espaços pelas mulheres.

Flâneuse I Lauren Elkin I Editora Fósforo I 74,90 reais


(Reprodução/Reprodução)

Crônicas Inéditas

Uma nova coletânea de crônicas do poeta, cantor e compositor Vinicius de Moraes acaba de ser publicada, 42 anos depois de sua morte. Com organização de Eucanaã Ferraz e Eduardo Coelho, a obra reúne 172 textos em prosa que Vinicius publicou na imprensa entre as décadas de 1940 e 1970 e que permaneceram inéditos em livro até hoje. Entre os temas, tudo o que atraía sua atenção, como filmes em cartaz nos cinemas, o preço do bonde e as transformações urbanas, comportamentais e sociais do país e de sua cidade, o Rio de Janeiro.

Crônicas Inéditas I Vinicius de Moraes I Organização de Eucanaã Ferraz e Eduardo Coelho I Companhia das Letras I 154,90 reais


Filme

(Divulgação/Divulgação)

Questões humanas

O México volta a ser o ponto central do novo longa do vencedor do Oscar Alejandro G. Iñárritu. Depois de ganhar um importante prêmio internacional, Silverio, um mexicano que vive em Los Angeles e trabalha como diretor de documentários, sente que precisa voltar a seu país de origem, mas não se dá conta de que essa viagem o levará ao limite de uma crise existencial. Com suas memórias e seus medos, o protagonista do filme passa a refletir sobre temas como identidade, sucesso e a brevidade da existência.

BARDO, Falsa Crônica de Algumas Verdades I Estreia na Netflix em 16 de dezembro


(Divulgação/Divulgação)

Relatos do passado

Mesmo banido de frequentar as próximas dez edições do Oscar, Will Smith acaba de produzir e protagonizar este longa inspirado nas fotos de Whipped Peter, de 1863, tiradas durante um exame médico do Exército da União. Uma das imagens mostra as costas nuas do escravizado Peter, mutiladas pelo chicote de escravocratas, e contribuiu para aumentar a oposição à escravidão. O filme acompanha a trajetória de Peter, um homem que usa a inteligência para fugir pelos pântanos da Louisiana.

Emancipation — uma história de liberdade I Disponível na Apple TV+


Exposição

Tripla homenagem

Judith Lauand, Madalena Santos Reinbolt e Aline Motta são temas de mostras no Museu de Arte de São Paulo

Trabalho de Madalena Santos Reinbolt: temas cotidianos (Divulgação/Divulgação)

Três artistas femininas integram três novas mostras no Masp. No ano de seu centenário, chega ao primeiro andar do museu a exposição individual de ­Judith Lauand. São apresentados 124 trabalhos e dezenas de documentos pes­­­­so­ais que propõem uma revisão da trajetória de mais de sete décadas da primeira artista concreta do Brasil. No primeiro subsolo do museu é possível visitar a mostra de Madalena Santos Reinbolt. São mais de 44 trabalhos, entre pinturas e tapeçarias, realizados nas décadas de 1950 a 1970, que expressam um vasto mundo de personagens, paisagens e situações do cotidiano da artista baiana. No andar abaixo estão os trabalhos audiovisuais de Aline Motta, como a trilogia Pontes sobre Abismos (2017), Se o Mar Tivesse Varandas (2017) e (Outros) Fundamentos (2017-2019). Os dois primeiros trabalhos reproduzem fotografias, arquivos e documentos submersos em água ou expostos ao vento em cidades que a artista visitou no resgate de seus ­antepassados.

MASP I Judith Lauand: desvio concreto, até 2 de abril de 2023

Madalena Santos Reinbolt: uma cabeça cheia de planetas, até 26 de fevereiro de 2023

Sala de vídeo: Aline Motta, até 22 de janeiro de 2023