Acompanhe:

Rede de franquias de restaurantes foca no TikTok para atrair a geração Z

A rede de cachaçarias Água Doce vai investir no diálogo com jovens adultos neste fim de ano

Modo escuro

 (Bruno Alexandre/Divulgação)

(Bruno Alexandre/Divulgação)

Por Leo Branco, Maria Clara Dias

Publicado em 18 de novembro de 2021, 05h06.

Última atualização em 18 de novembro de 2021, 12h18.

Na rede de franquias de restaurantes e cachaçarias Água Doce Sabores do Brasil, a demanda dos jovens adultos será atendida de vez. Para isso, a opção será ouvir o que a geração Z tem a dizer, a começar pelas redes sociais preferidas na hora de consumir conteúdo e, é claro, ter acesso aos itens que vai comprar.

Depois do Facebook e do Instagram, o novo foco da rede passará a ser o TikTok e também o YouTube, em uma postura que mostra a importância das narrativas em vídeo em um universo inundado por anúncios. O pontapé inicial será durante a Black Friday, tradicional data do varejo nacional que reúne descontos sempre na última sexta-feira de novembro. “Não queremos apenas conteúdo publicitário”, diz Julio Bertolucci, diretor de franquias da rede. “Queremos engajamento, algo que os jovens fazem muito bem.”

A resposta para esse diálogo jovial está na parceria com influenciadores, hashtags apropriadas, enquetes e fotos muito bem elaboradas de todos os pratos e drinques da rede. A gravação dos pequenos vídeos virais tradicionais no TikTok também já estão a todo vapor — algo que envolve, para além do time de marketing, os funcionários, que entram na onda dos takes fictícios, e figurantes contratados.

O esforço até o momento se resumiu a 150.000 reais usados para a compra de equipamentos de filmagem e a contratação de figurantes. A motivação, diz Bertolucci, é clara: atrair um novo público com poder de compra crescente e que, mesmo quando não pode comprar, influencia e induz outros a isso. “Vamos convencê-lo a ir até algum restaurante, pedir delivery ou convencer sua família”, diz. Segundo ele,
a rede já mantinha um bom relacionamento com esse público, mas a interação estava restrita ao limitado contato durante as idas das famílias desses jovens aos restaurantes. Agora, ao ouvir diretamente os nativos digitais, o resultado esperado é poder atender aos desejos específicos desse grupo e expandir um faturamento que em 2020 alcançou 83 milhões de reais. “Se conseguirmos aumentar o faturamento de 5% a 10% com essa estratégia, já será muito bom”, diz Bertolucci.


(Publicidade/Exame)