• AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
  • AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
Abra sua conta no BTG

Na pandemia, esta marca de cosméticos masculinos cresce 35% ao mês

A startup Dr. Jones, de higiene pessoal para homens, deve faturar 5 milhões de reais em 2020 com as vendas pelas redes sociais
 (Exame/Leandro Fonseca)
(Exame/Leandro Fonseca)
Por Carolina IngizzaPublicado em 30/07/2020 06:00 | Última atualização em 12/02/2021 11:52Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Com a quarentena, o mercado de beleza masculina deve faturar 9% menos em 2020, segundo a consultoria Euromonitor. Esse é um mercado que vinha em euforia antes da pandemia, com a profusão de novos tratamentos para barba e cabelo. Agora sente o baque da crise econômica e do fato de que há pouco motivo para tanta vaidade se o negócio é ficar em casa.

A marca paulistana de higiene e beleza Dr. Jones parece desafiar essa lógica. A empresa de São Paulo cresce 35% ao mês desde fevereiro e deve faturar 5 milhões de reais em 2020 — quatro vezes mais do que em 2019. A receita: focar as vendas pelas redes sociais — um espaço, afinal, em que as pessoas continuam querendo mostrar sua melhor face.

Em dezembro de 2019, a companhia deixou de vender seus produtos em lojas físicas para investir numa loja virtual própria e em propagandas dedicadas às redes sociais. Os consumidores aprovaram. Os seguidores da marca no Instagram cresceram 60% desde janeiro.

“O brasileiro se cuida bastante, mas, pelo histórico machista, ainda não se expõe muito”, diz Guilherme Campos, que fundou a Dr. Jones em 2013 com o sócio André Popoutchi. Pelo visto, quanto mais o brasileiro se expuser, em especial nas redes sociais, melhor será para a Dr. Jones.