Conheça sete candidatas a bolha no mercado financeiro nos dias atuais

A forte e rápida valorização não se restringe mais a um ativo ou setor, como costumava acontecer. Da Tesla ao bitcoin, veja 7 casos que são pontos fora da curva

Bolhas de ativos fazem parte do mercado há mais de 400 anos, desde a disparada do preço das tulipas na Holanda no fim do século 16. Mas nada parece se comparar ao momento atual. O excesso de recursos no mundo está levando diferentes categorias de ativos a preços recordes simultaneamente, a tal ponto que não são mais vozes isoladas que fazem o alerta de bolhas. O tema é cada vez mais recorrente nos relatórios de bancos e corretoras.

Nos Estados Unidos, os índices S&P 500 e Nasdaq estão em seus recordes históricos, depois de já terem subido 16% e 44%, respectivamente, no ano passado. Os estrategistas do Bank of America alertaram em janeiro que o “avanço extremo” em Wall Street está formando uma bolha nos preços dos ativos e que os excessos podem desencadear uma correção no primeiro trimestre.

O Goldman Sachs disse que há ações nas bolsas americanas com múltiplos tão elevados e acima da média histórica que dificilmente os investidores que estejam com esses papéis vão ter o retorno que desejam. “Claramente, existem ativos com dinâmica de bolha. O caso mais recente é o da GameStop (a ação chegou a subir mais de 2.400% em menos de um mês)”, diz Dan Kawa, executivo-chefe de investimentos da gestora brasileira Tag. 

O fenômeno não está restrito ao mercado americano. “Há vários ativos no Brasil que também estão com os preços desconexos dos fundamentos”, diz Bruno Lima, analista-chefe da EXAME Research, citando que não é normal uma empresa subir 100% em um mês.

No mercado doméstico, a forte migração de recursos para a bolsa por causa dos juros baixos contribui para a alta. “Há um fator psicológico. O investidor começa a achar que é difícil as coisas darem errado e passa a usar métricas não convencionais para justificar o preço pago”, afirma. 

Mas nem todos os ativos que subiram de forma muito rápida são bolhas. Há teses que podem se provar verdadeiras, como a da Tesla e a do bitcoin. As ações da fabricante americana de carros elétricos valorizaram 740% em 2020, enquanto o bitcoin subiu 303%. “Parece fazer sentido que vamos deixar de usar combustíveis fósseis daqui a alguns anos ou passar a usar moedas digitais”, diz Kawa. Se são apostas acertadas, o tempo vai dizer.  

 (Arte/Exame)

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.