Revista Exame

Cartuchos de tinta usados da HP viram novos produtos

Veja como a HP implantou seu ambicioso projeto de reciclagem de cartuchos de tinta no Brasil


	HP: O desafio era reaproveitar o material de produtos usados na produção
 (Germano Luders/Exame)

HP: O desafio era reaproveitar o material de produtos usados na produção (Germano Luders/Exame)

DR

Da Redação

Publicado em 29 de julho de 2015 às 18h00.

São Paulo — Em 2004, o comando da operação brasileira da empresa de tecnologia HP decidiu que a área de sustentabilidade, já estabelecida globalmente, deveria ganhar uma diretoria própria no Brasil.

Desde então, o responsável pela área de suprimentos, Kami Saidi, acumula as duas funções. A conexão direta entre os dois departamentos ajudou a fortalecer um conceito-base da companhia — a economia circular. Nessa lógica, os produtos descartados devem ser recuperados e reaproveitados como matéria-prima para a fabricação de novos.

Em 2008, parte desse desafio — o de recuperar os produtos postos no mercado — ficou ainda maior: a HP Brasil começou a fabricar cartuchos de tinta, que até então eram importados. Hoje, o percentual de material reciclado na composição dos produtos fabricados no país chega a 8%.

“Nossa meta é atingir 20% até 2017”, afirma Kami, diretor de suprimentos e sustentabilidade. Nenhum cartucho devolvido à empresa vai para aterros sanitários — e 75% dos que são postos no mercado têm até 70% de material reciclado em sua composição. Veja abaixo como funciona o processo de reciclagem da HP.

CONEXÃO COM O CONSUMIDOR

Desde 2009, a HP credenciou 400 pontos de coleta de cartuchos em diversas redes de varejo. A empresa recebe computadores e impressoras pelo correio ou providencia a coleta com caminhões próprios.

RECICLAGEM NO TOPO

Em 2010, foi criado um comitê de sustentabilidade no Brasil. Com nove membros, entre o presidente e todo o primeiro escalão da companhia, o grupo se reúne a cada três meses para avaliar o andamento dos projetos.

TECNOLOGIA DO REAPROVEITAMENTO

Em 2012, a HP passou a utilizar um centro de pesquisa em Sorocaba, no interior de São Paulo. As tecnologias desenvolvidas lá permitiram a inserção do material reciclado no processo produtivo.

LIXO INTELIGENTE

As impressoras da HP produzidas no Brasil têm uma identificação que registra cada componente. Essa espécie de DNA do produto, batizado de smart waste, serve para acelerar a separação de cada material na hora da reciclagem. 

Acompanhe tudo sobre:Edição 1094EmpresasEmpresas americanasempresas-de-tecnologiaHPReciclagemServiçosSustentabilidade

Mais de Revista Exame

Melhores do ESG: os destaques do ano em energia

ESG na essência

Melhores do ESG: os destaques do ano em telecomunicações, tecnologia e mídia

O "zap" mundo afora: empresa que automatiza mensagens em apps avança com aquisições fora do Brasil

Mais na Exame