Em ano eleitoral, livros sobre Trump e Obama chegam ao Brasil

De George Washington a Donald Trump, uma enxurrada de livros sobre os ocupantes da Casa Branca invade o mercado, na expectativa das eleições americanas
 (Divulgação/Divulgação)
(Divulgação/Divulgação)
M
Marcelo Orozco

Publicado em 22/10/2020 às 05:58.

Última atualização em 11/02/2021 às 15:18.

A temporada de contagem regressiva para as eleições presidenciais dos Estados Unidos, marcadas para 3 de novembro e com uma das campanhas mais conturbadas da história, teve uma torrente de livros sobre ocupantes da Casa Branca — do pioneiro George Washington ao atual Donald Trump. Dessas obras, duas têm lançamento no Brasil: Raiva, do jornalista Bob Woodward, sobre o já citado Trump, chega agora em e-book (com a versão impressa em janeiro); e Uma Terra Prometida, primeiro volume das memórias de Barack Obama, o titular anterior do cargo, com previsão para chegar às livrarias em novembro e já em pré-venda.

Por tudo que vem acontecendo, Raiva desperta interesse imediato. Woodward, coautor de Todos os Homens do Presidente (1974), que ajudou a causar a renúncia de Richard Nixon com as denúncias do escândalo de Watergate, especializou-se em livros sobre os mandatários americanos. Seu prestígio sempre favoreceu o acesso à sede do governo, incluindo as equipes que lá trabalham.

Woodward já tinha publicado uma obra sobre o atual presidente em 2018, Medo: Trump na Casa Branca. Ali, ele detectava certo caos no governo americano e a aflição dos funcionários com a soma de impulsividade, desconhecimento da administração pública e da diplomacia internacional com o ego enorme de Trump. Já Raiva tem foco na crescente fúria com que Trump conduz seu mandato, de olho na campanha pela possível reeleição. Woodward realizou 17 entrevistas com o presidente. O jornalista foi criticado por não ter revelado antes do lançamento do livro uma conversa de fevereiro, na qual Trump admitia saber dos perigos da covid-19, em um momento inicial do quadro de pandemia.

De certa forma, Trump demoliu liturgias do cargo que foram estabelecidas há dois séculos por George Washington, um dos líderes da Independência Americana em 1776, quando não existia Casa Branca, tampouco a cidade de Washington. O mítico presidente número 1 tem sua trajetória revista na nova biografia First and Always: A New Portrait of George Washington, do historiador Peter Henriques. O autor dividiu a obra em capítulos temáticos, em vez da costumeira narrativa cronológica, e aborda temas delicados, como o tratamento dado a seus escravos ou suas ambições e incapacidade de digerir críticas.

Outro monumento daqueles primeiros 100 anos dos Estados Unidos como nação ganhou nova biografia. Abe: Abraham Lincoln in His Times, de David S. Reynolds, um especialista em século 19, identifica o período conturbado que antecedeu a chegada de Lincoln à Presidência, exercida praticamente inteira durante a Guerra Civil, entre governo federal e estados rebelados do Sul, que levou à abolição da escravatura. Trata também do talento do político para se comunicar com o público e conduzir o país, o que o transformou num gigante da história.

Outros livros retratam presidentes do século 20 com status diferentes. JFK: Coming of Age in the American Century, 1917-1956, é apenas o primeiro volume da biografia de John F. Kennedy escrita por ­Fredrik Logevall, vencedor do Prêmio Pulitzer. Nessa primeira parte, o autor narra até o momento em que o então senador decide concorrer à Presidência nas eleições de 1960. Mas esses anos iniciais de Kennedy, um bem-nascido moldado pelo pai para chegar à Casa Branca, compõem o retrato de um dos personagens mais icônicos do século 20.

His Very Best: Jimmy Carter, a Life, de Jonathan Alter, é uma ambiciosa biografia de um presidente talvez incompreendido. Carter elegeu-se em 1976 com uma bandeira idea­lista e buscou investir nas relações internacionais. Mas foi engolido pela recessão crescente e pela crise dos reféns da embaixada no Irã. Atropelado por Ronald Reagan ao tentar a reeleição, ficou com uma pecha de fraco. Aos 96 anos, ainda vivo até o fechamento desta edição, Carter é o presidente americano mais longevo. A biografia busca contextualizar sua trajetória de forma mais equilibrada para a posteridade.

A lista de livros presidenciais chega ao antecessor de Trump. Barack Obama dá a partida em suas memórias com Uma Terra Prometida, a primeira parte, que terá lançamento mundial (incluindo o Brasil) em 17 de novembro. Nesse texto, o primeiro presidente negro dos Estados Unidos se concentra em seus anos formativos, na ascensão à indicação como candidato democrata à Casa Branca e relembra momentos de seu primeiro mandato (2009-2013).   

 

(Arte/Exame)