Mesmo na pandemia, Sertrading vê seu lucro líquido crescer 600%

Com a ampliação dos serviços de assessoria técnica aos clientes, a empresa de comércio exterior SERTRADING pretende crescer 25% neste ano
Alfredo de Goeye, fundador e presidente da Sertrading, contou que a estratégia adotada pela empresa, ampliou a carteira de clientes (Germano Lüders/Exame)
Alfredo de Goeye, fundador e presidente da Sertrading, contou que a estratégia adotada pela empresa, ampliou a carteira de clientes (Germano Lüders/Exame)
D
Deborah Oliveira

Publicado em 19/11/2020 às 05:15.

Última atualização em 24/11/2020 às 10:38.

Uma das maiores empresas de comércio exterior do Brasil, a Sertrading vive uma acelerada expansão. Em 2019, faturou quase 612 milhões de dólares, um robusto crescimento de 53,5% em relação ao ano anterior. A última linha do balanço fez ainda mais bonito — o lucro líquido cresceu mais de 600%. Os ganhos são frutos da lição de casa feita nos últimos anos.

Há dois anos, a empresa decidiu centrar os esforços em clientes que importam grandes volumes e oferecer-lhes uma solução mais completa na gestão dos processos de importação e exportação. “Passamos a oferecer serviços como assessoria em tecnologia para permitir ao cliente ter acesso rápido a todos os processos de importação”, diz Alfredo de Goeye, fundador e presidente da Sertrading.

“Com o reforço nas áreas financeira, tributária e tecnológica, as operações ficaram mais arrojadas. Deu certo, e a estratégia ampliou nosso portfólio de clientes.” A Sertrading está entre as 20 maiores importadoras do país. Seus clientes estão espalhados por 12 setores, de alimentos e bebidas a óleo e gás. Neste ano, mesmo com a pandemia de covid-19, a meta da companhia é atingir vendas de 764 milhões de dólares — 25% mais do que o registrado no ano passado.


(Publicidade/Exame)