• AALR3 R$ 20,34 1.40
  • AAPL34 R$ 67,96 -2.78
  • ABCB4 R$ 17,36 4.52
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.77
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,75 0.66
  • AGRO3 R$ 30,95 1.08
  • ALPA4 R$ 20,84 -0.48
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,71 1.17
  • AMAR3 R$ 2,45 4.26
  • AMBP3 R$ 30,53 -2.12
  • AMER3 R$ 23,10 0.65
  • AMZO34 R$ 67,45 -0.34
  • ANIM3 R$ 5,50 -0.72
  • ARZZ3 R$ 81,36 -0.60
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,23 0.00
  • B3SA3 R$ 11,82 2.34
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
  • AALR3 R$ 20,34 1.40
  • AAPL34 R$ 67,96 -2.78
  • ABCB4 R$ 17,36 4.52
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.77
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,75 0.66
  • AGRO3 R$ 30,95 1.08
  • ALPA4 R$ 20,84 -0.48
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,71 1.17
  • AMAR3 R$ 2,45 4.26
  • AMBP3 R$ 30,53 -2.12
  • AMER3 R$ 23,10 0.65
  • AMZO34 R$ 67,45 -0.34
  • ANIM3 R$ 5,50 -0.72
  • ARZZ3 R$ 81,36 -0.60
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,23 0.00
  • B3SA3 R$ 11,82 2.34
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
Abra sua conta no BTG

Estudo aponta idade em que somos mais felizes na vida

A análise pode ajudar na elaboração de políticas públicas, segundo pesquisadores
 (Reuters/Thomas Northcut)
(Reuters/Thomas Northcut)
Por Lucas AgrelaPublicado em 04/10/2021 14:00 | Última atualização em 04/10/2021 15:03Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Um estudo com 17.000 participantes de 13 países europeus apontou a faixa etária na qual as pessoas dizem ser a época mais feliz da vida: entre 30 e 34 anos de idade.

O estudo longitudinal foi publicado no repositório científico Springer Social Indicators Research e foi feito com pessoas que tinham 50 anos ou mais.

“Os resultados mostram que a probabilidade de viver o período mais feliz da vida apresenta uma relação côncava com a idade, com um ponto de inflexão por volta dos 30-34 anos e uma tendência decrescente a partir desse ponto. Retrospectivamente, a meia-idade não é considerada o período menos provável e mais feliz da vida”, segundo a autora do estudo, Begoña Alvarez, professora no departamento de economia aplicada da Universidade de Vigo, na Espanha.

O time de pesquisadores, entretanto, reconhece que uma das limitações do estudo é a habilidade dos participantes de se lembrarem corretamente do passado.

A análise pode ir além de apontar a melhor época da vida para que as pessoas a aproveitem devidamente. Os pesquisadores acreditam no uso dos resultados para a elaboração de políticas públicas para a população mais idosa.