A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Coxinha de capivara: a cozinheira por trás da iguaria que conquistou a web

Mity Yamashiro vende alimentos em formato do animal, considerado um símbolo brasileiro

Apesar de a capivara não ser uma exclusividade brasileira, já está mais do que comprovado que o animal se tornou um símbolo “queridinho” no país. Mas, Mity Yamashiro, uma cozinheira de Curitiba, parece ter levado essa paixão a outro nível: ela criou pastéis e até coxinhas no formato de capivaras.

Ganha pouco, mas gostaria de começar a guardar dinheiro e investir? Aprenda com a EXAME Academy

Mity já era famosa por moldar a massa de pastel em formatos de Pokémon, mas agora levou as refeições a outro nível com as capivarinhas. A coxinha em formato do animal já ganhou até nome próprio: Capixinha

De acordo com informações divulgadas recentemente, a “iguaria” custa cerca de 10 reais e é vendida na feira noturna do Água Verde, em Curitiba. Para garantir a própria unidade, é necessário chegar cedo, já que a quantidade é limitada. 

Mity afirmou recentemente a um site que a invenção é uma homenagem à cidade de Curitiba, onde nasceu. Aos 41 anos, ela faz parte da terceira geração de pasteleiros das feiras Água Verde e Lindoia. Hoje, ela comanda o negócio junto com a irmã, que se chama Tatiane. 

A “capixinha” é a segunda invenção da cozinheira, que começou a criar pastéis em formatos inusitados — como de Pokémon, morcego e dinossauro — em 2020. 

A ideia surgiu durante o período em que as feiras estiveram fechadas devido à bandeira vermelha. “Comecei a testar e fazer o desenho na massa, depois passei a expor e com a promoção tem sido um grande sucesso”, diz Mity”. 

Hoje, para ganhar o pastel de capivara, os fregueses precisam comprar no mínimo cinco pastéis, além de informar que viram a promoção nas redes sociais da banca. 

Descendente de japoneses, a cozinheira conta que seus avós vieram de Okinawa para o Brasil após a destruição da cidade na Segunda Guerra Mundial e trabalharam na lavoura antes de assumirem a profissão de pasteleiros. O negócio foi passando de geração em geração e já chega até ao filho da cozinheira, que com apenas 14 anos já ajuda nas feiras. 

Fato é que o prato se tornou um sucesso, que pouco a pouco ganha as redes sociais. Com 890 seguidores, a conta @osamu_yamashiro exibe periodicamente as refeições em formato de capivarinha e também alguns breves depoimentos de clientes. 

Pão em formato de capivara?

Outro cozinheiro que ficou famoso pelo prato em formato de capivara é Susan Jacomuni, que também mora em Curitiba.

Em entrevista ao G1, ela afirmou que o “pãopivara” não foi o primeiro pão em formato divertido e que inclusive participa de um grupo chamado “comidas feias” em que os integrantes enviaram as imagens de suas iguarias. 

A quem se interessar, a autora da receita divide um passo-a-passo de como fazer o famoso pão em casa. O vídeo, publicado no YouTube, tem mais de 10.000 visualizações.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também