Pop
Acompanhe:

Cofundador da Apple não nota diferença entre iPhone 13 e antecessor

Steve Wozniak, entretanto, vê como positivo o fato de o sistema operacional iOS 15 chegar a smartphones mais antigos

Steve Wozniak: cofundador da Apple vê dificuldade em notar diferenças no novo iPhone 13 (Justin Sullivan/Getty Images)

Steve Wozniak: cofundador da Apple vê dificuldade em notar diferenças no novo iPhone 13 (Justin Sullivan/Getty Images)

D
Da Redação

11 de novembro de 2021, 11h31

Para Steve Wozniak, cofundador da Apple ao lado de Steve Jobs, o novo iPhone 13 é tão parecido com o iPhone 12 que é difícil notar a diferença.

“Eu comprei o novo iPhone; Realmente não consigo perceber a diferença ”, disse Wozniak, em entrevista ao Yahoo. “O software (iOS 15) que ele contém se aplica a iPhones mais antigos, presumo. E essa é a parte boa. Comprei o novo Watch e também não consigo diferenciá-lo do anterior.”

Em 2017, Wozniak afirmou que o iPhone X seria o primeiro que ele não compraria no dia do lançamento. “Prefiro esperar e ver o que acontece com ele”, disse Wozniak. “Estou feliz com meu iPhone 8 - que é igual ao iPhone 7, que é igual ao iPhone 6, para mim.”

Wozniak sempre foi o cofundador de perfil técnico da Apple. Ele é entusiasta de tecnologias vestíveis, como o Apple Watch ou mesmo o Google Glass, descontinuado pela empresa. “Eu me preocupo com a grandeza e o tamanho ... mas não estudo isso”, disse Wozniak ao comentar sobre os resultados financeiros da Apple. “Eu só estou interessado em saber se os produtos são bons.”

Criptomoedas

Wozniak também contou sua visão sobre as criptomoedas. Para ele, apesar de admirar o entusiasmo de Jack Dorsey, fundador do Twitter, a respeito do tema, Woz acredita que as criptomoedas não devem ser dominantes no sistema financeiro. "O problema é que o governo nunca vai deixar isso ficar fora do seu controle. Se chegarmos ao ponto em que tudo se resumir a criptomoedas, e elas não passarem por governos para observação e taxação, os governos deixariam de permiti-las. Eles não irão abrir mão desse poder", disse.