Pop

Ator de série adolescente é condenado à prisão perpétua após matar a mãe

De "Riverdale", o canadense Ryan Grantham também confessou que planejava matar o primeiro-ministro Justin Trudeau

Por Laura Pancini
Publicado em 23/09/2022 10:41
Última atualização em 23/09/2022 10:41

Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Nesta quinta-feira, 22, o Supremo Tribunal da Columbia Britânica, em Vancouver, no Canadá, anunciou a pena de Ryan Grantham, ator de 24 anos conhecido pelos seus papeis em "Riverdale" e "Diário de um Banana".

Acusado de assassinar a própria mãe em 2020, o canadense foi condenado à prisão perpétua. Ele só terá possibilidade de pedir liberdade condicional em 2036, após 14 anos de condenação.

A audiência aconteceu somente para decidir o tempo de espera para o pedido de condicional, já que o Canadá automaticamente condena à prisão perpétua aqueles que cometeram assassinato em segundo grau, quando não há um plano premeditado para matar.

Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo na newsletter gratuita EXAME Desperta.

O que aconteceu no dia do crime?

Em março de 2020, Ryan Grantham atirou em sua mãe na nuca enquanto ela tocava piano. Logo depois, o jovem acnadense pegou uma câmera e confessou o assassinato, de acordo com os promotores.

No vídeo, é possível ver o corpo de Barbara Waite sem vida. "Eu atirei nela na parte de trás da cabeça. Nos momentos depois, ela deveria saber que era eu", disse o ator na gravação.

Em sua declaração à polícia, Grantham conta que foi comprar cerveja e maconha, experimentou fazer coquetéis Molotov e assistiu à Netflix. Depois, ele cobriu o corpo de sua mãe com um lençol e foi dormir.

No dia seguinte, o jovem colocou velas ao redor do corpo e pendurou um rosário no piano antes de colocar três armas, munição e coquetéis molotov no carro. Seu plano era ir até Rideau Cottage, onde o primeiro-ministro Justin Trudeau mora, e matá-lo.

Grantham dirigiu por horas e chegou a pensar em cometer tiroteios em massa na Lions Gate Bridge ou na Universidade Simon Fraser, onde era estudante. Felizmente, acabou indo para o Departamento de Polícia de Vancouver para admitir ao assassinato e se entregar. Aos policiais, ele disse que queria fazer algo que "gerasse impacto".

LEIA TAMBÉM:


Veja Também