Veja os 12 fundos selecionados pelo BNDES para dar crédito a PMEs

Em maio, o banco abriu uma chamada pública para selecionar fundos de crédito para liberar 4 bilhões para pequenas e médias empresas
BNDES: desde o começo da pandemia, o banco colocou 30 bilhões de reais na economia por meio de diferentes linhas de crédito
BNDES: desde o começo da pandemia, o banco colocou 30 bilhões de reais na economia por meio de diferentes linhas de crédito
Por Carolina IngizzaPublicado em 03/08/2020 18:08 | Última atualização em 05/08/2020 09:08Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O BNDES Participações (BNDESPar) divulgou nesta segunda-feira, 3, o resultado preliminar da seleção de fundos de crédito voltados para as micro e pequenas empresas. Em maio, o banco anunciou uma chamada pública para selecionar fundos de crédito com objetivo de fazer 4 bilhões de reais chegarem mais rapidamente no mercado.

O BNDESPar pode investir em até 500 milhões de reais em dez fundos de crédito privado. Comumente financiados por investidores institucionais, esses fundos buscam fornecer uma alternativa aos empréstimos bancários para pequenas empresas. 

O banco irá alocar o dinheiro em duas modalidades de Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs). A primeira, de fundo originador, é para grandes empresas, como adquirentes e marketplaces, que vão utilizar sua base de clientes para originar crédito. A outra modalidade é a de PME, em que um gestor de crédito faz uma parceria com uma fintech. Nesse caso, essas empresas ficarão responsáveis pela gestão dos recursos e a ponte com as pequenas empresas.

Desde a publicação do edital até agora, o banco recebeu 73 propostas: 41 de fundos na modalidade PME (gestor independente em parceria com uma ou mais fintechs) e 32 de fundos na modalidade originador (grandes empresas que buscam originar crédito dentro da base de clientes). 

O BNDESPar, então, pré-selecionou 12 fundos para fazer um procedimento de análise e diligência, já que o banco só poderá trabalhar com dez. A expectativa da instituição é que o processo aconteça rapidamente e que logo o dinheiro chegue na ponta.

Pelo menos 1 milhão de operações devem ser realizadas pelos fundos nos próximos anos. “Esperamos uma pulverização grande do capital para os micro e pequenos empreendedores”, diz Filipe Borsato, chefe do departamento de gestão de investimentos em fundos do banco público.

Desde o começo da pandemia, o BNDES colocou 30 bilhões de reais na economia para as pequenas empresas. Desse total, cerca de 6 milhões foram para a linha de capital de giro para PMEs. De acordo com Bruno Laskowsky, diretor de participações, mercado de capitais e crédito indireto do BNDES, o banco trabalha para ampliar o acesso e a capilaridade do crédito no país, uma atividade prejudicada com a crise econômica causada pela pandemia.

Veja os fundos pré-selecionados:

ORIGINADORA FUNDO ORIGINADOR
Cielo S.A. FIDC Cielo e BNDES
PagSeguro Internet S.A. PagSeguro BNDES Fundo de Investimento em Direitos Creditórios
SumUp Soluções de Pagamento Brasil Ltda. Brasil Microcrédito Impacto Social Fidc
Stone Pagamentos S.A. Soma II FIDC
B2W Companhia Digital + Ame Digital Brasil Ltda. Fundo de Investimento em Direitos Creditórios MPME Integral B2W
Magazine Luiza S.A. Magalu I Fundo de Investimento Em Direitos Creditórios 

 

GESTORA FUNDO MPME
BRPP Gestão de Produtos Estruturados Ltda. Fundo de Investimento em Direitos Creditórios BNDES CASHME-PLURAL
Captalys Gestão Ltda. Libra Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios – FIDC
Empírica Investimentos Gestão de Recursos Ltda + Gauss Capital Gestora de Recursos Ltda. FIDC BizCapital Finpass PME
Nova SRM Administração de Recursos e Finanças S.A. SRM Exodus PME Fundo de Investimento em Direitos Creditórios
Solis Investimentos Ltda. + Augme Capital Gestão de Recursos Ltda. BSA FIC FIDC
XP Vista Asset Management Ltda. FIC-FIDC BNDESPar XP