Tiger e SoftBank lideram rodada para startup de logística

Os negócios da Nowports, que emprega atualmente cerca de 300 pessoas, se expandiram durante a pandemia. Conheça
A Nowports foi fundada por um mexicano de 22 anos e um uruguaio de 30 que se conheceram na Universidade Stanford (Yuichi Yamazaki / Colaborador/Getty Images)
A Nowports foi fundada por um mexicano de 22 anos e um uruguaio de 30 que se conheceram na Universidade Stanford (Yuichi Yamazaki / Colaborador/Getty Images)
Por BloombergPublicado em 17/12/2021 15:30 | Última atualização em 17/12/2021 16:17Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Com cadeias de suprimentos ao redor do mundo com dificuldade para entregar mercadorias no prazo, a Tiger Global Management e o SoftBank Group apostam em uma startup de logística especializada em frete digital da América Latina com planos de rápida expansão no Brasil em 2022.

A Nowports, fundada por um mexicano de 22 anos e um uruguaio de 30 que se conheceram na Universidade Stanford, captou 60 milhões de dólares na rodada Série B, que também contou com o DST entre os investidores. A empresa permite que importadores e exportadores enviem mercadorias diretamente por meio de sua plataforma. A Nowports também está desenvolvendo ferramentas de financiamento e seguro.

Os recursos serão usados em sua maior parte ​​para expandir as operações recém-lançadas no Brasil, com planos de aumentar a equipe no país para cerca de 100 pessoas no ano que vem, disse o cofundador e diretor-presidente, Alfonso de los Ríos, em entrevista. O executivo mexicano agora mora em São Paulo para supervisionar o negócio, enquanto o cofundador, Maximiliano Casal, que é diretor de operações, está em Montevidéu.

“Queremos ser o sistema operacional responsável pela movimentação de cargas para empresas do ponto A ao ponto B, para e a partir da América Latina”, disse De los Ríos. Ele não quis informar o valor atual da empresa.

Os negócios da Nowports, que emprega atualmente cerca de 300 pessoas, se expandiram durante a pandemia. No mundo todo, portos e aeroportos ficaram sob pressão devido à demanda decorrente do crescimento do comércio eletrônico e à escassez de trabalhadores e caminhões.

O transporte por caminhões ao longo da movimentada fronteira dos Estados Unidos com o México responde por cerca de 15% das operações atuais, enquanto o transporte marítimo entre China e América Latina também é um componente-chave, disse.

“Vimos um crescimento significativo”, disse o CEO. “Um dos principais gatilhos foi a interrupção das cadeias de suprimentos.”

A receita da Nowports deve superar 500 milhões de dólares em 2022.

Atualmente, a empresa atua no México, Chile, Colômbia, Peru, Brasil e Panamá. Também tem escritórios operacionais em Miami e na China para ajudar clientes a resolver gargalos e interrupções em suas necessidades de transporte para a América Latina. Outro escritório será inaugurado em Bilbau, Espanha, disse De los Ríos.

No México, a Nowports já comprou um credor especializado, ou sofom, para expandir as operações de crédito. A ideia é permitir que o cliente importe agora e pague depois, usando a carga como garantia. Cerca de 50 dos 1.200 clientes têm usado os serviços como parte de um programa beta, mas 70% foram pré-aprovados para eles. Um empréstimo pode ser aprovado em até 30 segundos, explicou.

“Acho que a mágica da Nowports é usar a logística como a principal base financeira para oferecer serviços adicionais”, disse De los Ríos.

A Nowports fazia parte da aceleradora Y Combinator e recebeu investimentos da Mouro Capital, Foundation Capital, Broadhaven Ventures, Monashees e Base10 Partners na Série A.

Startups na América Latina haviam levantado um recorde de 14,1 bilhões de dólares em capital privado neste ano até 12 de novembro, mais que o triplo do valor total captado em 2020, de acordo com a PitchBook.