Startup para freelancers quer conquistar grandes empresas

O objetivo é conectar os mais de 2 milhões de freelancers cadastrados com grandes empresas, como Unilever, OLX e Ambev

A Workana, plataforma que conecta freelancers a empresas, está ampliando sua atuação no Brasil. A startup, que nasceu na Argentina, está lançando por aqui o serviço Enterprise, uma modalidade voltada para grandes empresas. 

O objetivo é conectar os mais de 2 milhões de freelancers cadastrados na plataforma com grandes empresas, para agilizar processos e a execução de projetos internos. 

Até o momento, o serviço para grandes empresas corresponde a apenas 0,8% dos trabalhos realizados na Workana, mas já representam 12% do faturamento. 

A Workana irá oferecer um executivo de contas para todos os processos administrativos e um recrutador especializado para o processo de contratação. Empresas como Unilever, OLX e Ambev já estão com projetos com essa nova divisão da startup.

Novo escritório

O lançamento do novo serviço faz parte do plano da startup de expandir sua atuação no Brasil. Recentemente, Daniel Schwebel, até então líder regional do LinkedIn, foi contratado como o primeiro diretor geral para o país e irá abrir um escritório em São Paulo, com seis pessoas. O plano é triplicar o tamanho da equipe em dois anos. 

A companhia foi criada na Argentina há sete anos, mas o Brasil já é o maior mercado da empresa. “Há muito espaço para crescer no Brasil e na América Latina, mas precisamos entender onde está a demanda e qual é a melhor estratégia para o mercado local, então decidimos montar um escritório por aqui”, afirma Schwebel.

A companhia conta com mais de 2 milhões de freelancers cadastrados, 45% deles no Brasil. Há designers, tradutores, redatores e analistas de marketing digital, entre outros profissionais. Cerca de 880 mil projetos já foram postados na plataforma. 

Por muito tempo, o objetivo de crescimento foi formar uma base forte de freelancers para oferecer seus serviços ao mercado. Agora, a empresa está em sua fase de expansão: trazer mais empresas e projetos para a plataforma. A atuação local também facilita uma integração melhor entre freelancers e empresas, que preferem mão de obra local para executar os projetos. 

A startup já recebeu 39,5 milhões de reais em aportes: 500 mil reais do grupo de mídia inglês DMGT em 2012 e 39 milhões de reais do Seek de 2016 a 2018. A Workana não revela seu valor de mercado nem o faturamento.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.