• AALR3 R$ 19,66 -0.46
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,48 -0.36
  • ABEV3 R$ 14,72 1.24
  • AERI3 R$ 4,26 13.60
  • AESB3 R$ 10,84 1.88
  • AGRO3 R$ 31,71 -1.09
  • ALPA4 R$ 21,88 0.37
  • ALSO3 R$ 19,84 0.76
  • ALUP11 R$ 26,29 0.15
  • AMAR3 R$ 2,36 5.83
  • AMBP3 R$ 29,75 0.00
  • AMER3 R$ 23,89 3.64
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,59 3.90
  • ARZZ3 R$ 82,39 -0.12
  • ASAI3 R$ 15,33 -0.97
  • AZUL4 R$ 21,22 2.61
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,66 -0.46
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,48 -0.36
  • ABEV3 R$ 14,72 1.24
  • AERI3 R$ 4,26 13.60
  • AESB3 R$ 10,84 1.88
  • AGRO3 R$ 31,71 -1.09
  • ALPA4 R$ 21,88 0.37
  • ALSO3 R$ 19,84 0.76
  • ALUP11 R$ 26,29 0.15
  • AMAR3 R$ 2,36 5.83
  • AMBP3 R$ 29,75 0.00
  • AMER3 R$ 23,89 3.64
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,59 3.90
  • ARZZ3 R$ 82,39 -0.12
  • ASAI3 R$ 15,33 -0.97
  • AZUL4 R$ 21,22 2.61
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

Puxado por MEIs, número de novas empresas cresce 16,1% no 1º semestre

Em termos de composição, as MEIs representam 79% dos casos no 1º semestre
Por setores, o setor de serviços atingiu 61,5% da composição das novas empresas (Exame/Germano Lüders)
Por setores, o setor de serviços atingiu 61,5% da composição das novas empresas (Exame/Germano Lüders)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 31/07/2019 10:41 | Última atualização em 31/07/2019 10:41Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O número de novas empresas cresceu 16,1% no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo levantamento da Boa Vista em todo o País.

Já no segundo trimestre em comparação com o primeiro, o indicador recuou 1,5%. No acumulado em 12 meses, houve avanço de 16,8%. 

Na classificação por forma jurídica, a variação interanual mostrou crescimento muito mais forte das MEIs (21,4%) do que dos demais tipos de empresas (0,6%) no primeiro semestre.

Em termos de composição, as MEIs representam 79% dos casos no 1º semestre. No ano anterior, a participação dessas empresas era um pouco menor, de 75,7%. 

Por setores, o setor de serviços atingiu 61,5% da composição das novas empresas, fatia maior do que no mesmo período de 2018 (57,6%). O comércio se manteve estável, com 29,8%, enquanto houve recuo na indústria, de 0,1 ponto porcentual, para 7,8%. 

Entre as regiões brasileiras, o aumento de abertura de novas empresas foi generalizado frente ao primeiro semestre do ano passado. A região Norte teve maior aumento de 18,6%, seguido de Sudeste (17%) e depois por Nordeste e Centro-Oeste, com a mesma taxa de crescimento (15,54%). Na região Sul, a expansão foi de 13,9%.