Pequenas empresas faturam R$ 1,5 mi nas primeiras horas de Black Friday

Dados compilados pela Loja Integrada até as 7h mostram que o ticket médio das compras é 12% mais alto em 2020 que no ano anterior

Nas primeiras sete horas de ofertas, as pequenas e médias empresas que vendem online faturaram 1,5 milhão de reais na Black Friday. Durante a madrugada, os empreendedores venderam quase 6.000 produtos. E o tíquete médio das compras, até então, é 12,2% mais alto que em 2019, saindo de 245 reais para 275.

Os dados foram compilados pela plataforma Loja Integrada, do unicórnio VTEX, que cria ferramentas de e-commerce para pequenos e médios varejistas. Durante o dia, a empresa irá monitorar hora a hora todas as transações das PMEs virtuais que estão hospedadas na sua plataforma.

De acordo com Pedro Henrique Freitas, presidente da Loja Integrada, essas primeiras movimentações já mostram que a sexta-feira de ofertas promete bater recordes de número de lojistas e compradores e já sugere uma maior propensão nos gastos com as compras virtuais, mesmo diante de um cenário econômico desfavorável no país.

Acabou de abrir um negócio e precisa entender mais de finanças?
Não deixe de conferir a Black Friday da EXAME Academy

Segundo o boletim da empresa, 12% dos consumidores que realizaram uma compra nas lojas virtuais da plataforma são jovens entre 19 e 25 anos. Os estados que mais venderam até o momento são: São Paulo (44%), Rio de Janeiro (11%) e Minas Gerais (10%). Entre os segmentos campeões de vendas até agora estão: moda e acessórios (31%), cosméticos e perfumaria (14%), e petshop (7%).

O movimento Compre e Confie, com a Neotrust e Clearsale, está monitorando os dados gerais do e-commerce brasileiro. Até às 7h58, foram vendidos 1,8 bilhões de reais, em mais de 3 milhões de pedidos, com tíquete médio de 617,50 reais, segundo a consultoria.

A expectativa é que esta Black Friday seja 77% maior que a de 2019, movimentando 6,9 bilhões de reais, de acordo com análise da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), em parceria com a Neotrust/Compre&Confie. Já a consultoria Ebit/Nielsen estima alta de 27% em relação ao faturamento de 2019, quando somou 3,2 bilhões de reais nos dois dias da promoção.

Este ano, há mais brasileiros habituados a compras online. Graças ao isolamento social, cerca de 7,3 milhões de pessoas fizeram sua primeira compra online durante o primeiro semestre de 2020 — levando o país a marca de 41 milhões de usuários ativos no e-commerce. Não só mais pessoas estão comprando online, o volume de compras aumentou. A ABComm estima que o e-commerce brasileiro cresça 30% neste ano.

Além dos novos compradores, há também novos vendedores. A covid-19 forçou muitos pequenos varejistas a vender online para salvar seus negócios. Segundo dados de setembro da ABComm, desde o início da pandemia mais de 135 mil lojas aderiram às vendas pelo comércio eletrônico para continuar vendendo.

Tudo o que você precisa saber sobre a Black Friday:

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.