O que esperar do mercado de startups em 2012

Especialistas fazem previsões sobre o ano e dizem o que esperam para o mundo empreendedor

São Paulo - Desde 2009, o WebHolic reúne equipe e amigos para falar sobre as previsões para o ano seguinte. Nas previsões para 2010 e 2011, é bem legal ver os acertos e rir das mais ousadas que passaram longe. Discutimos o cenário local e internacional, e acredito que as previsões deste ano estão ainda mais ousadas.

Carlos Ribeiro, COO na Telbrax: “2012 vai ser o ano do IP TV no Brasil. A entrada da NetFlix e da Apple TV irá disparar uma corrida nos mercados, em todas suas vertentes. A GVT irá entrar pesado nessa disputa com um serviço de TV semelhante ao da Apple. E o Google TV poderá ser lançado aqui ainda em 2012 (se eles conseguirem acertar a versão 2.0 a tempo).

Até o final de 2012, pelo menos um grande grupo educacional brasileiro irá anunciar um plano decente de educação à distância pela internet.

A entrada da Amazon no mercado brasileiro de hospedagem não será tranquila. Empresas locais irão obter proteções jurídicas para tirar a competitividade da Amazon, através do aumento da carga tributária, mas, no final das contas, a Amazon deve prevalecer. E os outros players locais (UOL, Locaweb, Tecla, etc.) irão ter apenas este ano para se estabelecer como players competitivos ou entrar em declínio.

Fiquem atentos para as regras de pagamento de serviços digitais no cartão de crédito. Tanto a Amazon como a Apple TV usam um subterfúgio de faturar os serviços nos EUA, isentos das taxas brasileiras, para vender serviços que são entregues localmente. Uma hora ou outra alguém irá atentar para este fato.”

Diego Gomes, Fundador da EverWrite: “Lá fora, o nosso querido Grooveshark vai fechar, depois dos dois últimos enorme processos dos quais a empresa foi vítima. O Google+ deve atingir 10% do tamanho do Facebook e fica estagnado. Vai ser o Bing das redes sociais.

Vamos ter um base de dados pública, crowdsourced e aberta de lugares (POI’s). Algo como um OpenStreetMap da era mobile. Em 2011, tivemos projetos de datasets abertos como o CommonCrawl, que dão acesso a grandes bases de dados que abrem novos mercados para startups. Os candidatos a iniciarem o projeto são a Factual ou a UrbanAirship, extendendo o Dataset adquirido junto a SimpleGeo. Índia, Russia e Brasil (nesta ordem) entram de vez no circuito do venture capital mundial e os principais fundos de VC americanos abrirão escritórios nestes países.


Já no mercado brasileiro, teremos o anúncio de um IPO brasileiro na NASDAQ (segundo LatAm, o primeiro teria sido o Mercado Libre – MELI ). Os fortes candidatos seriam Dafiti, Netshoes e Viajanet.

As empresas da Rocket Internet se consolidam como líderes de mercado no e-commerce brasileiro, em seus respectivos nichos (Dafiti, Kanui, Tricae, Airu, etc). O R7 começa uma onda agressiva de aquisições e chega a ameaçar a posição do IG entre os grandes portais brasileiros. Em 2011, tivemos 65 deals no brasil. Em 2012, vamos ter 120.”

Eduardo Bilman, colaborador do Webholic: “No mundo dos tablets, a Amazon continua sua empreitada na guerra, lançando versões com telas maiores para o Kindle Fire. Tablet Windows 8 da Microsoft não emplaca, sendo considerado o Zune dos tablets.

O Dropbox faz mais um round no valuation de 8 bilhões de dólares, porém 2012 ainda não é o ano do IPO. O Google deve deixar de lado parceria com a Samsung e lança aparelho whitelabel com a Motorola, recém-adquirida. Samsung não gosta e lança seu primeiro smartphone com WPhone. RIM é adquirida por Google na iminência da falência (de volta à briga das patentes).

Facebook pode comprar Match.com e criar um canal exclusivo de social dating. No Brasil, aposto que três startups vão receber investimento de VCs gringos e se mudar para a Califórnia,”

João Pedro Resende, fundador do Hotmart: “Em 2012, veremos o primeiro tablet a ser vendido por R$ 100 ou menos no Brasil.

Quem se surpreendeu com a ascensão meteórica da Dafiti em 2011 vai ficar ainda mais chocado quando o Rocket Internet mostrar os dentes com a Kanui, concorrente que vai bater de frente com a Netshoes. Kanui terá praticamente o mesmo marketshare que a Netshoes no final de 2012.

Vai ser o ano dos gringos no e-commerce brasileiro. Amazon desembarca no Brasil tomando pelo menos 25% do mercado ocupado por Submarino + Americanas, que continuam com o número de clientes insatisfeitos aumentando e se expressando nas redes sociais.


O governo brasileiro pode lançar um novo programa de micro-funding para startups, oferecendo até 100 mil reais. Há muito barulho em cima do programa, muitos dizem ser uma resposta ao Startup Chile, muitos dizem ser a versão melhorada do Prime. Angels brasileiros criticam a iniciativa. Empreendedores adoram. A onda de “monte sua startup” chega ao seu pico.

Teremos pelo menos duas saídas de startups brasileiras que receberão destaque na mídia especializada. Uma no segmento de e-commerce. Outra no segmento de games.”

Martino Bagini: fundador da Astella Investimentos: “O primeiro semestre será o mais agitado do ano em número de investimentos relacionados a consumo online.

Diversas das startups da 1a geração de 2010 irão encerrar as atividades silenciosamente. Startups da mesma geração, com tração, receberão novas rodadas de investimentos lideradas por fundos americanos.
Mais fundos estrangeiros de venture capital farão investimentos e em maior volume. Early growth passará a ser alvo em conjunto com seed e será impulsionado pelo IPO da Netshoes no segundo semestre.

O IG deve ser vendido e a RBS irá tentar acelerar o processo de consolidação da sua nova área digital, sonhando com um IPO no futuro. O BuscaPé deverá diminuir o ritmo de aquisições afim de consolidar o portfólio e continuar crescendo.”

Edson Rigonatti, fundador da Astella Investimentos: “O IPO da Netshoes irá consolidar a posição do Brasil como “The Next Big Thing” e atrair um volume de capital sem precedentes. O e-commerce será a vertical com o maior volume de investimentos na internet brasileira, seguido dos “listings”.

Alguma startup brasileira irá se destacar mundialmente devido a sua mecânica de viralização nas redes sociais. A massificação do cloud computing irá acelerar ainda mais o empreendedorismo e a adoção em escala de SaaS. O “crowd” fará um “voo de pato” devido às restrições regulatórias (crowdfunding) e trabalhistas (crowdsourcing). Conteúdo (tráfego orgânico) será o destaque das estratégias de marketing mais bem sucedidas.”

Diogo Bedran, editor do Webholic: “Apesar do acordo feito em 2011, Vostu volta a responder novo processo da Zynga, que futuramente comprará a empresa semi-brasileira para se estabelecer no mercado de social games da América Latina.

Google+ continuará “engolindo” recursos sociais de outros produtos da empresa, mas, mesmo assim, não ameaçará o Facebook. Google deixa escapar que o Orkut será descontinuado.

O Diego aposta em 120 deals para 2012, mas eu acredito que serão cerca de 200. Todos os grandes portais brasileiros começarão a apostar mais em blogs sobre o mercado de startups. A tendência já foi iniciada com a parceria entre IG e startupi. Esta é a previsão mais audaciosa: metade das previsões aqui apresentadas realmente acontecerão.”

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.